urlvisit

A viver "fase complicadíssima", Fernando Daniel desabafa: "Mexe um bocado com as minhas entranhas"

Fernando Daniel e a namorada na SELFIE
Olívia Ortiz emociona-se com mini-concerto de Fernando Daniel
Após morte de menina com cancro, Fernando Daniel doa receita de "Melodia da Saudade"
O Meu Mood: Inês Gutierrez desafia Fernando Daniel para um passeio a cavalo
David Carreira, Fernando Daniel, Tay, Profjam e Plutónio entre os nomeados aos prémios MTV

O cantor Fernando Daniel partilhou uma crítica sobre alguns comportamentos que considera serem inadequados em plena pandemia.

Através do Instagram, Fernando Daniel fez um desabafo sobre as atitudes de alguns colegas de profissão, durante a pandemia de coronavírus: "Até hoje, não me tinha pronunciado sobre 'isto', porque achava que o choque que estamos a levar, ia efetivamente chamar todos à realidade. Erro meu, por achar que isto nos tinha trazido mais respeito pelo próximo. Caros colegas, tenho visto várias imagens, principalmente stories, a viverem como se nada fosse, repito, a viverem como se nada fosse, não estou a dizer que devem 'deixar de viver'."

"Não sei como está o vosso e-mail, o e-mail dos vossos agentes e editoras, mas o meu, e acredito que o de muitos mais, está repleto de 'adiado', 'cancelado' e 'sem respostas'. 'Mas o que quer ele dizer com isto?'. Perguntam bem. Eu respondo. Estou a pedir que ganhem um pouco mais de consciência, ou, talvez, a apelar à vossa memória, para que não se esqueçam de que milhares de pessoas seguem aquilo que fazemos e que influenciamos pessoas. Stories dia sim, dia não, a ir jantar fora, em 'reuniões de amigos', ajuntamentos 'ao acaso', são tristes de ver num momento como este. Já é mau, na minha opinião, fazê-lo, agora, fazer e postar, numa altura destas, já mexe um bocado com as minhas entranhas", acrescentou o cantor, de 24 anos, na legenda de uma fotografia, na qual surge pensativo.

Fernando Daniel concluiu o desabafo, com um apelo: "Infelizmente, o trabalho tem vindo a ser pouco, mas é a única razão, juntamente com o básico, que me leva a sair de casa, acreditem que não é o fim do mundo, ok? Nós, os nossos músicos, os nossos técnicos, os nossos agentes, estamos todos a passar por uma fase complicadíssima, principalmente, músicos e técnicos, pois nós, artistas (alguns), vamos tendo outras fontes de rendimento, para além de concertos. Isto precisa de acabar o mais rápido possível, para que possamos voltar à normalidade, ou que seja, pelo menos, mais seguro voltar. Para que os promotores consigam ter o mínimo de estabilidade para trabalhar por eles e por nós. Sei que, para alguns de vocês, o que estou a dizer é igual ao litro, pois, primeiro, vem o Instagram e a vida social e, só depois, o que realmente importa. No nosso caso, a música. Não consigo ficar indiferente ao que tenho visto, ultimamente. Só vos estou a pedir que tenham menos vida social, por agora, que passem melhores exemplos a quem vos segue. Sem palcos, as nossas melhores ações são, agora, o melhor espetáculo que podemos dar. Façam-no."

Veja, agora, a imagem partilhada por Fernando Daniel, na galeria de fotografias que preparámos para si.