urlvisit

José Raposo indignado com falta de trabalho para atores mais velhos: "Princípios que me envergonham"

José Raposo na SELFIE
José Raposo e Sara Barradas rendidos à filha: "A Lua pôs-se de pé pela primeira vez!"
José Raposo em modo Pai Natal
Sara Barradas e José Raposo de férias no Gerês
Filha de Sara Barradas e José Raposo diverte-se na piscina

Ao assinalar o 86.º aniversário de Luís Alberto, José Raposo acabou por lembrar a falta de oportunidades concedidas aos atores mais velhos e experientes do meio.

De volta à página de Instagram, José Raposo escreveu sobre o ator e amigo Luís Alberto, que acaba de completar mais um ano de vida: "No sábado, dia 22, o Luís Alberto fez 86 anos! Parabéns, Luís! O Luís Alberto é um grande ator português, daqueles que, em Portugal, deixaram de ser convidados para trabalhos, porque já são velhos! São princípios que se instituíram neste país e que me envergonham! Nós somos muito amigos, e todo o meio sabe, também, da sua grande formação humana!".

"Resumo da sua carreira, que acho que as pessoas deveriam conhecer: 'Luís Alberto começou a representar, por acaso, a convite de Varela Silva e, depressa, estava a subir ao palco do Teatro Nacional. Era já ator, quando foi para o Conservatório Nacional, convicto de que era necessário estudar a profissão que queria exercer o resto da vida. Além de teatro, fez cinema e entrou em vários projetos televisivos. Aos 85 anos, continua a dar vida às personagens que lhe vão aparecendo, e, enquanto puder, não pensa reformar-se!", acrescentou.

"Nasceu em Campo de Ourique, mas foi na Madragoa que cresceu. O pai de Luís tinha uma mercearia no bairro e a mãe do ator era doméstica. Luís Alberto recorda-se que já em pequeno fazia vários teatros em casa, pequenas representações e imitações em frente ao espelho e, desde cedo, percebeu que tinha um gosto especial pelo ‘faz de conta’. Os pais queriam que fosse 'doutor ou advogado' e não reagiram bem, quando disse que queria ser ator! Era já adulto, quando a representação apareceu na sua vida, ajudava na organização da biblioteca da Sociedade Guilherme Cossoul, quando Varela Silva o convidou a fazer teatro. Achou que ele estava a brincar, mas, depois, pensou que se o Varela achava que tinha jeito 'por que não tentar?'. Da estreia como ator, lembra-se de que foi num dia em que a sala estava cheia. Uns dias depois, estava a entrar na Sociedade e um colega diz-lhe que tinha recebido um telefonema de Amélia Rey Colaço. Como estavam sempre a dizer piadas e a pregar partidas, achou que fosse brincadeira. Não ligou. Na verdade, era mesmo a atriz Amélia Rey Colaço que tinha visto Luís em palco e queria convidá-lo a ir para o Teatro Nacional. Estávamos no início dos anos 60 e, pela mão de Amélia Rey Colaço, subiu ao palco do Nacional", concluiu, assim, num excerto sobre a carreira de Luís Alberto.