urlvisit

Felipa Garnel critica SNS: "Nunca pude dizer que estava mal"

Felipa Garnel na SELFIE
Momentos engraçados de Filipa Garnel e do marido no «A loira e o doutor»
"Apanha Se Puderes" com Luís Esparteiro, Helena Isabel, Felipa Garnel e Sílvia Rizzo

Infetada com Covid-19, Felipa Garnel partilhou o ponto de vista sobre o trabalho do Serviço Nacional de Saúde.

Num direto transmitido na página de Facebook "A Loira e o Doutor", no passado domingo, dia 17, Felipa Garnel e o marido, o médico Nuno Lobo Antunes, abordaram o tema que marca a atualidade: o coronavírus.

O casal está infetado com Covid-19, conforme ambos recordaram logo no começo do direto. Enquanto Nuno Lobo Antunes enfrenta o problema de saúde há quase um mês - desde o dia 22 de dezembro -, Felipa Garnel encontra-se infetada há 13 dias.

Após sublinhar que os sintomas do coronavírus variam bastante de doente para doente, o casal contou que cada um teve uma experiência diferente com o atendimento do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

"O SNS foi impecável com o Nuno, ligavam de dois em dois dias. Não posso dizer o mesmo, em relação ao meu caso. No primeiro dia em que testei positivo, porque é automático, recebi um telefonema de um médico do Centro de Saúde de Carcavelos. Disse-lhe a verdade. Tinha poucos sintomas: nariz entupido, dores de cabeça... Não tinha grandes sintomas. O médico disse que estava tudo bem, que ia escrever que estava sem sintomas e que, em princípio, se tudo corresse bem, daqui a dez dias, tinha alta", começou por recordar a comunicadora, de 56 anos.

"Nunca mais, até ontem [sábado, dia 16], que foi o 12.º dia, me ligaram! Passei por isto tudo, sem nunca um médico do SNS me ter ligado. Graças a Deus, temos hipótese de contactar com médicos, porque o Nuno é médico, portanto, nunca estava desamparada, mas eu só pensava em alguém que estivesse na mesma situação que eu, que estivesse sozinha e que não tivesse a quem ligar. Ainda por cima, tentámos ligar para a linha [Saúde] 24 e não se consegue, tentámos ligar para os centros de saúde e desligam-nos os telefones. Portanto, ou nos ligam para saberem de nós, ou nós não conseguimos ligar para ninguém. Apesar de estar, praticamente, assintomática - só com umas dores de cabeça e nariz entupido -, podiam ter passado o meu caso a alguém que fizesse um inquérito, a alguém a quem eu pudesse dizer: 'Estou mal, estou com 39.7º de febre, estou com o oxigénio baixo e não estou bem.'. Nunca pude dizer isso a ninguém do SNS. Estamos quase com um ano de pandemia. Já deviam estar mais bem preparados. Longe de mim, apontar o dedo a um médico ou a um enfermeiro ou a um auxiliar de saúde. Não é nada disso, mas isto não está bem organizado", criticou Felipa Garnel.

Veja, agora, o vídeo do desabafo de Felipa Garnel.