urlvisit
EXCLUSIVO

Será que vamos voltar a ver Vanessa Martins como atriz?

Vanessa Martins: a mulher, a influencer e a empresária de sucesso
Um dia com Vanessa Martins

Conhecida do público desde que participou na série juvenil "Morangos Com Açúcar", há dez anos, Vanessa Martins parece não ter planos para voltar à representação.

Antes de se tornar empresária, a Vanessa tornou-se conhecida do público através da série "Morangos com Açúcar". Acha que o caminho podia ter sido mais difícil ou, pelo menos, diferente, se não tivesse tido este percurso? 
Faz parte. Quando eu fiz os "Morangos com Açúcar" não havia redes sociais, não sabia nada disso, por isso, o percurso foi muito natural. Desde cedo, quis televisão, queria ser atriz, mas tive de passar pelas coisas para saber que não era esse o caminho e que tinha imensas capacidades, que tinha este lado empreendedor, que também desconhecia, mas tive de passar por esse trajeto. Claro que a televisão me trouxe todo aquele público que me seguia, na altura, através da televisão e que passou a seguir-me através das redes sociais. O engraçado é esse público continuar a crescer e continuar a abranger ainda mais pessoas, mas, como é óbvio, a televisão continua a ter um impacto muito grande na vida das pessoas, nas redes sociais, mas, pronto, é o futuro.

Voltar à representação está fora de questão?
Foi uma passagem mesmo, e não digo isto com qualquer peso. Fez parte, mas não me vejo, agora, a fazer uma telenovela, a decorar textos, a estar em estúdio das 09:00 às 20:00... Como é que, agora, com todas as responsabilidades que tenho, com os projetos em que estou envolvida, conseguiria voltar a representar? O que dizia à minha equipa? "Desculpem lá, agora, vou fazer uma novela durante um ano, fiquem aqui a tratar de tudo…" Não pode ser! Já nem vibrava dessa forma. Podia voltar à televisão noutro formato, mas a nível de representação… já nem sei representar (risos). Acho que não existem bons ou maus atores, existe é o trabalho! Um ator pode ser ótimo, mas tem de praticar! No meu caso, não é uma coisa que me daria muito prazer. Fez parte da minha vida, há dez anos, mas já não faz parte! Eu estou bem resolvida em relação a isso. Mas é engraçado que ainda dizem que sou atriz… Não! Eu não sou atriz! Por amor de Deus! Eu não fiquei lá atrás, a minha vida continuou. Ao nível da representação, lamento, mas não me vão ver a representar.

Era aqui que imaginava estar aos 35 anos?
Não sabia que era aqui, mas, agora, ambiciono mais, porque isto é tão giro! Gosto tanto de criar, vamos ver. Mas se me dissessem que ia ficar assim, por mim, está ótimo! Trabalho todos os dias feliz.

Há novos projetos na calha?
Há, sempre, novos projetos. Estou, sempre, a criar coisas novas, coisas giras, coisas com que me identifico e, sim, faz parte do crescimento. Só começou agora (risos).

Um projeto ligado ao empreendedorismo, faria sentido para si?
Acho que faria sentido continuar a estar ligada a esta parte em que, realmente, acredito, em mulheres empreendedoras, comunicativas, que têm ali aquele lado que ninguém conhece e que nós descobrimos… Sim, seria interessante.

Onde é que se imagina daqui a cinco anos?
Daqui a cinco anos, com 40 anos… gostava de ter um filho, gostava de ver este lado maternal a despertar, e, não sei, acho que é só esse o objetivo. A nível profissional, gostava de estar ainda mais longe e a fazer coisas maiores, quero que a Frederica cresça muito e seja uma referência ao nível do lifestyle para todas as mulheres. A nível pessoal, gostava de ser mãe, e, se não for, iremos continuar, mas, sim, daqui a cinco anos, vejo-me a ter, pelo menos, um filho.

Pode ler a entrevista completa AQUI