EXCLUSIVO

Após acidente, João Espírito Santo tem nova rubrica na TVI: "Tive a maior dádiva"

De volta ao programa "A Tarde É Sua", com uma nova rubrica, "Mudança de Sonho", o Professor Doutor João Espírito Santo conversou, em exclusivo, com a SELFIE e recordou o grave acidente de automóvel que o deixou 13 dias em coma.

Este é o seu grande regresso ao ecrã depois do grave acidente que sofreu. O que representa a rubrica "Mudança de Sonho" nesta fase da sua vida?
Representa que somos capazes de tudo, que só dependemos de nós para recuperar, para nos reinventarmos e para sermos felizes. Foi isso que aconteceu comigo. Quando saí do coma, preocupei-me, logo, com o programa e com o que ia ser feito com os doentes que tinha tratado. E quando apresentei este novo projeto, as reaçoes foram no sentido de "ele renasceu, ele está capaz, com mais dinâmica e mais proatividade. É isso que vamos aproveitar".

O que mais contribuiu para a sua rápida e "miraculosa" recuperação?
A minha força interior e a minha fé. Foi um processo em família, um processo em que a minha mulher foi uma heroína e os meus filhos uns heróis, porque acompanharam e valorizam a minha beleza sem orelha, a minha "tatuagem" na mão, a "cicatriz de guerra" no ombro… tudo isso faz com que sejam eles o motor para esta fantástica recuperação.

É dessa forma bem humorada que tem lidado com a mudança exterior?
Nada como saber-mo-nos aceitar e fazer tudo direito.

O que aconteceu mudou em algum aspeto o seu desempenho clínico?
Se calhar, agora, consigo entender o doente de uma forma muito mais abrangente. Não valorizando só a falta do dente ou a falta de estética. Quando entendemos o doente de uma forma mais abrangente, isso faz com que seja possível fazer um tratamento com mais êxito. 

Acredita que a situação que viveu o ajudará a criar (ainda) mais empatia com os candidatos? De que forma?
A minha maneira de estar não mudou. O que mudou foi a minha maneira de viver. O acidente ajudou-me a valorizar o que realmente faz sentido. Foi mais uma experiência. "A Mudança do Sonho" também significa isso. Eu voltei a viver o meu sonho de uma forma mais disposta ao próximo. Acho que nós só precisamos é de valorizar a vida como ela é. Hoje em dia, páro de trabalhar às 18:00 horas, algo impensável antes. Todos os dias, faço uma hora de almoço com os meus filhos, criei disciplina, só dispenso tempo e energia com o que, realmente, é importante. Nós temos de saber selecionar o que nos faz bem e o que nos faz mal. Há muita coisa que nos faz mal, porque nós a valorizamos, então, devemos saber valorizar o que é importante, valorizar quem são as pessoas válidas. A coisa mais nobre que temos na vida é o respeito e a integridade que temos uns para com os outros.

Qual a principal mensagem que gostaria de transmitir a quem viveu ou está a viver uma situação semelhante?​
Nós só dependemos de nós para sermos felizes, para recuperarmos aquilo que perdemos. Ninguém nos vai dar saúde, se nós não nos esforçarmos por isso, se nós não crescermos para isso, se nós não nos estimularmos e trabalharmos para isso.

Falamos de "Mudança de Sonho": o que mudou em si depois do acidente? A mudança foi mais interior?
Eu amo o que faço, estou sempre a dizer isso. Hoje em dia, dou muito mais tempo de mim aos outros, dou muito mais tempo de mim à família, porque, felizmente, consegui arranjar um equilíbrio. Foi uma mudança interior e foi uma mudança, também, na minha maneira de estar. Eu vejo as coisas, hoje em dia, de uma maneira ainda mais livre. Hoje em dia, não vejo problemas, só vejo soluções. Tenho a capacidade de olhar para uma questão e dizer: "Ok, mas quais são as soluções possíveis?" E, perante essas soluções, vejo qual é que é a melhor para o doente.

Voltando à rubrica "Mudança de Sonho". Em que consiste e o que traz de novo?
A rubrica consiste em reabilitarmos uma pessoa, de várias formas, com o apoio das várias áreas médicas, de uma forma multidisciplinar, fazendo com que ela possa ter uma nova vida. Corpo e mente perfeita. Quer a parte da psicologia, quer a parte também da nutrição, como a parte da terapia da fala são áreas que também estão muito envolvidas na reabilitação do ser. À parte depois de tudo o que é estético, a parte de makeup, cabeleireiros, styling. O principal, para nós, é reabilitar o corpo e a mente, porque a mente está primeiro do que o corpo.

O que podem esperar os espectadores do doutor João Espírito Santo neste novo projeto?
Podem esperar um tratamento multidisciplinar e um médico com uma disponibilidade maior. Hoje em dia, trabalho mais por gozo e por prazer do que propriamente por profissão. Sinto-me uma pessoa muito mais dinâmica na responsabilidade social e na responsabilidade que isso tem no meu dia a dia, porque faço planos de tratamento multidisciplinares com outras áreas médicas e com uma medicina holística. Os materiais são os mais atuais e os tratamentos o menos evasivos possível.

Então, a equipa é liderada pelo doutor João Espírito Santo, mas vários outros médicos fazem parte da rubrica?
A equipa é liderada por mim, com outros médicos, como Otorrino, Ortopedia, Oftalmologista, Cirurgião plástico...

Já têm muitas candidaturas?
Temos muitas candidaturas, mas as pessoas podem continuar a inscrever-se através do e-mail sonho@atardeesua.com.pt

Quais os principais problemas apresentados pelos candidatos?
Os candidatos têm problemas de saúde oral, mas, também, problemas ao nível da imagem e do psicológico.

Faz este tipo de intervenção pro bono. O que o motiva a continuar?
Acima de tudo, dar, todos os dias, aquilo que eu posso dar, uma vez que tive a maior dádiva da vida que foi poder continuar a viver de uma forma feliz e saudável, após o meu acidente.

Qual a mudança que mais o marcou até agora?
Houve uma mudança que me fez muito bem fazê-la. Foi uma pessoa que também teve um acidente, uma pessoa em que eu me revi totalmente. O Serviço Nacional de Saúde não reabilita pessoas com dentes fixos de um traumatismo ou de um acidente, por isso, foi muito positivo, para mim, conseguir ajudar a realizar o sonho dessa pessoa.