urlvisit
EXCLUSIVO

Joana Freitas Araújo revela novidades profissionais: "Alegria e gratidão"

Joana Freitas Araújo lança nova coleção outono/ inverno
O segredo da boa forma de Joana Freitas Araújo
Joana Freitas Araújo na SELFIE

Numa entrevista exclusiva à SELFIE, Joana Freitas Araújo desvendou as novidades profissionais que prometem surpreender os fãs, com destaque para a participação na próxima novela da TVI, "Para Sempre", e uma nova coleção outono/ inverno.

Os próximos meses prometem trazer muitas novidades na sua vida profissional. Em primeiro lugar, como faz parte da equipa dos programas "Dois às 10" e "Em Família", acabou de mudar de morada e deixou Queluz de Baixo para começar a trabalhar nos estúdios da Plural, em Bucelas. Que balanço é que faz do ciclo que viveu em Queluz de Baixo?
Destes mais de 12 anos em Queluz de Baixo, trago, comigo, pessoas, emoções e momentos para a vida. Tive medos, frustrações, alegrias e motivações. Cresci e enriqueci-me muito como pessoa. É o melhor que posso trazer.

Qual é aquele momento que viveu em Queluz de Baixo e de que nunca se vai esquecer?
Esse momento foi um ponto de encontro que tivemos entre uma mãe e um filho, que não mais se largaram, assim que se viram. Choraram e, naquele momento, aquela mãe deu o colo, que não tinha dado durante uma vida. Foi de uma intensidade brutal e, ainda hoje, me emociono, quando me recordo.

Quais são as expetativas para este novo ciclo, na Plural?
Há agora que viver esta fase de adaptação e as expetativas são, sempre, as melhores. Neste momento, estou a conciliar o programa e as gravações da nova novela, "Para Sempre".

Pode adiantar algo sobre a sua personagem?
Sou a Regina, a empregada da casa da Antónia, interpretada por Marina Mota. Um pequeno papel para poder matar saudades e conciliar com os meus outros projetos.

Nessa novela, tem contracenado com nomes importantes da representação, em Portugal. É o caso de Marina Mota, como já referiu. O que essa experiência lhe tem acrescentado, enquanto atriz?
A Marina é inexplicável! E não quero, de todo, que soe a bajulação. A Marina é muito generosa, super profissional e sabe, sempre os textos, sem precisar de olhar para o papel! É incrível! Mas a minha alegria e gratidão não ficam por aqui. Faço parte de um núcleo exímio, ao lado de Carmen Santos, Pedro Sousa, Ana Nave, Sílvia Chiola, entre outros grandes nomes que já entraram naquela 'nossa' casa. A excelência estende-se, também, a toda a equipa técnica. Trago, claro, mais experiência e conhecimento que vivo e vou absorvendo.

Tem algum papel de sonho que desejasse representar?
Óbvio! Amava ter um papel de vilã, por considerar ser um enorme desafio, em que me permitiria mergulhar nas profundezas da minha escuridão. Aquela que todos nós temos e que, talvez por medo, não a exploramos.

Já no meio digital, tem desenvolvido a veia de entrevistadora em projetos, como "Os Meus 7 Pecados São Demais". De todas as personalidades que confessaram os pecados, qual foi a mais marcante? A revelação mais surpreendente?
Apesar de ter gostado das respostas de todos os meus entrevistados, a que mais me marcou, foi a Sandrina, do "Big Brother", que revelou um dos seus grandes apegos.

E pode confidenciar-nos qual é o seu maior pecado?
Gula por Kinder! Atenção, não é por chocolate, no geral, é por Kinder! Um dos presentes mais marcantes que recebi foi uma variedade imensa de Kinders.

Além disso, tem investido na área do vestuário e vai lançar, em breve, uma coleção outono/ inverno. Qual é o público-alvo desta nova coleção?
A coleção é, sempre, pensada, desenhada e produzida para a Mulher. Para ter conforto, elegância e versatilidade no seu dia a dia. 

Esta coleção resulta de uma parceria com a marca Albertina Vieira. Como surgiu este encontro?
Conheci a Albertina em 2018, no Porto (cidade que tanto amo e me acarinha), através do meu agente, naquela altura. É um gosto enorme trabalhar com a Albertina, que me compreende, em poucas palavras. Costumo dizer que "casamos" bem as ideias.

Imagino que seja difícil, mas consegue escolher, de toda a coleção, a sua peça de roupa favorita?
Que pergunta difícil! Uma das minhas peças preferidas são os fatos de treino, este ano, feitos com um tecido com brilhantes e com os quais, uma vez mais, podemos ter um visual mais informal ou formal, tudo dependerá do calçado. Tenho de ter sempre um ou dois fatos de treino nas minhas coleções.

Sendo uma workaholic assumida, que mais surpresas podemos esperar de si?
Nem eu sei que surpresas esperar [ri muito]! Tenho muitas ideias e muita vontade de fazer mudanças, em certos pontos da minha vida. Se, ainda, este ano houver alguma surpresa, irei partilhar convosco, em primeira mão.

Nas redes sociais, é habitual citar autores, como Sigmund Freud e Carl Jung. Sendo uma "mulher dos sete ofícios", será que temos, também, uma curiosidade pela psicanálise, que pode originar fruto, em breve?
Sou apaixonada pela mente e pelo comportamento humanos. Anseio o dia em que será absolutamente normal falar sobre uma ida ao psiquiatra, ao psicólogo, ao psicanalista, em que se quebrem todos os tabus e que se perceba que não há o cérebro perfeito. Todos somos feitos da genética, do ambiente em que crescemos e vivemos, de crenças, de personalidade. E o normal é procurarmos o caminho certo, dentro da medicina ou da terapia, para vivermos de forma saudável. 

Falando em objetivos pessoais, há cerca de um ano, contou-nos que queria, mais do que nunca, dar uma irmã ao seu filho, João, de 16 anos. Esse desejo mantém-se?
Sim, o desejo mantém-se, mas estou solteira e, portanto, não será para breve.

E como é que o João lida com o facto de a mãe ser uma figura pública?
Lida bem, até quando me abordam. Tenho a felicidade de ser muito acarinhada, pelas pessoas. Sou muito grata.

Ele acompanha o trabalho da mãe, no pequeno ecrã? E é muito crítico?
Com 16 anos não acompanha muito. Divide-se entre os estudos, o futebol, os jogos e, agora... a namorada. Mas dá-me a opinião dele em muitos assuntos da minha vida profissional.

Qual a lição de vida mais importante que aprendeu com o seu filho?
O meu filho é uma pessoa incrível, é muito amigo, generoso e focado. A maior lição que me dá, neste momento, é levantar-se, todos os dias, às 06:30 horas, para ir correr. Reconheço e admiro a determinação e força de vontade.