urlvisit

Dolores Aveiro emociona-se ao recordar AVC: "Pensei que era o fim"

Dolores Aveiro: «Vi os meus filhos todos a chorar, pensei na morte»
Dona Dolores: «Não me lembro de chegar ao hospital»
A recuperação de Dolores Aveiro após um AVC
Dona Dolores: «Ele disse-me: "Avó, não morras"»
Dolores Aveiro: «Muita coisa mudou, mas eu consigo dar a volta»

Dolores Aveiro esteve à conversa com Maria Botelho Moniz, que viajou para o Funchal para falar com a mãe de Cristiano Ronaldo.

Maria Botelho Moniz viajou para o Funchal, para uma conversa com Dolores Aveiro sobre o AVC que a mãe de Cristiano Ronaldo sofreu há um ano.

"Nesse dia, mudou tudo!", começou por confessar a matriarca da família Aveiro, recordando o problema de saúde que a deixou hospitalizada vários dias.

"Depois, temos de dar a volta e, hoje, estou aqui. O conselho que dou é agarrarmo-nos à família - que nos dá muito apoio - e aos amigos verdadeiros. Hoje, podia não estar aqui!", afirmou Dolores Aveiro, recordando o que sentiu em março de 2020.

"Levantei-me da cama, para ir à casa de banho, e caí, desmaiei. Quando me tentei levantar, percebi que tinha o lado esquerdo do corpo todo paralisado. Notei a boca torcida, mal via, e foi o meu companheiro que chamou o 112. Fui, logo, socorrida e, aí, já não me lembro de chegar ao hospital", explicou a mãe de Cristiano Ronaldo.

"Pensei, logo, que não era nada bom e pensei: será o meu fim?", contou Dolores Aveiro a Maria Botelho Moniz, descrevendo a cirurgia e os tratamentos a que foi submetida, assim como o momento em que acordou e tinha os filhos aos pés da cama.

A mãe de Cristiano Ronaldo não conseguiu conter as lágrimas, ao recordar, ainda, o apoio que recebeu dos filhos. "Custou-me bastante. Pensei que ia acabar de vez... Quando vi o meu neto entrar foi um choque tão grande. Pedi a Deus: 'Nosso Senhor, não me leve, deixe-me ver os meus netos criados.' Tive muita fé", contou Dolores Aveiro, deixando Maria Botelho Moniz, igualmente, emocionada.

Dolores Aveiro falou, ainda, sobre o neto Cristianinho: "Quando me viu, chorou tanto e disse: 'Avó, não morras.' Aquilo cortou-me o coração."

Veja, agora, a conversa da matriarca da família Aveiro com Maria Botelho Moniz.