Cláudio Ramos sobre abraço a Soraia e Diogo: "Fiz uma coisa que não deveria ter feito"

Cláudio Ramos sobre os concorrentes: «Criei um laço forte»
Cláudio Ramos: «Ganhou o bom senso»
Cláudio Ramos: «Nossa Senhora de Fátima ajudou-me sempre»
Cláudio Ramos conta história insólita
Claúdio Ramos: «Não gosto nada quando são quebradas as regras do programa»

Cláudio Ramos fez um balanço sobre a última gala do "Big Brother", na qual anunciou a vitória de Soraia, com 31% dos votos.

Cláudio Ramos esteve à conversa com Fátima Lopes, na passada segunda-feira, dia 3 de agosto, no programa "A Tarde é Sua", e falou sobre a experiência de apresentar o "Big Brother".

"Senti-me tremendamente satisfeito, do início ao fim. Acho que foi uma gala sem espinhas", começou por assumir o apresentador do reality show da TVI, confessando: "Criei um laço forte com os concorrentes."

Para Cláudio Ramos, chegaram à final os dois concorrentes que mereciam disputar o primeiro lugar. "Acho que, financeiramente, o primeiro prémio para a Soraia será uma mais-valia, porque o Diogo tem outra mentalidade, outra história de vida e vai, de forma rápida, através dos seus trabalhos, angariar os 50 mil euros", avaliou o apresentador, que não poupou elogios aos dois finalistas: "Nunca ouvimos uma discussão da boca do Diogo ou da Soraia. Não os ouvimos a ofender ninguém. Os dois tiveram uma atitude muito parecida. A Soraia mostrou aos portugueses que ainda é possível existirem pessoas como ela, boas. O Diogo também é... Venceu o bom-senso, e isso é uma coisa boa."

Cláudio Ramos assumiu, ainda, que, no final da gala, já com as emoções à flor da pele, abraçou Diogo e Soraia, desrespeitando, assim, as medidas de distanciamento social impostas pela Covid-19. "Fiz uma coisa que não deveria ter feito, obviamente. Ali, não resisti a abraçá-los, no final. Não o poderia fazer, como é óbvio, mas fiquei muito contente", explicou o apresentador, que vai, agora, gozar um período de férias, antes do regresso ao ecrã.

Veja, agora, a conversa de Cláudio Ramos com Fátima Lopes.