urlvisit

Viúvo de Maria João Abreu: "Enchias a casa e a minha alma, também"

Maria João Abreu e João Soares na Selfie
Maria João Abreu em vídeo ternurento com os netos
João Soares recorda Maria João Abreu: "A minha João"
Na praia, Marta Andrino presta homenagem a Maria João Abreu
Maria João Abreu na Selfie

O viúvo de Maria João Abreu, João Soares, escreveu um emotivo texto, no qual recorda os finais de tarde com a atriz.

"Está a chegar o fim da tarde", começou por escrever João Soares, em mais um texto emotivo dedicado a  Maria João Abreu, que faleceu, aos 57 anos, no passado dia 13 de maio.

"Normalmente, eu chegava a casa antes de ti. E, agora, em teletrabalho, por cá ficava, claro. E era por volta desta altura do dia, o final da tarde, que, muitas vezes, ouvia a porta da rua bater e te reconhecia os passos a subir as escadas. Outras vezes, tinha a sorte de te ver pela janela do escritório, enquanto te aproximavas. Outras tantas, apenas dava pelo som agudo das chaves, seguido pelo rodar da fechadura... Tu entravas e dizias: 'Amo! Cheguei!' (ou algo semelhante)", recordou o viúvo da atriz.

"Enchias a casa e a minha alma, também. Mais a alma do que a casa. Muito mais... Era, sem me dar conta, o melhor momento do meu dia, porque iniciava o nosso dia. O nosso momento. Era o nosso reencontro diário. A nossa partilha. A nossa vida a dois, em que tudo se conjugava. Porque nós conjugávamo-nos. Estávamos um para o outro. Éramos um do outro. Éramos um. Um", continuou o músico.

"Agora, não oiço a porta da rua a bater, nem os teus passos a ecoar nas escadas. Não te vejo pela janela. As chaves não fazem barulho e a fechadura não roda. E tu não entras. E a tua voz não me invade. E a casa não fica cheia. Mas a minha alma, sim. Aqui dentro, dentro dela, continuas tu. Com o nosso amor. O nosso carinho. As nossas vontades. A nossa vida. Estejas onde estiveres, sei que me estás a ver. Se calhar, até dizes 'Amor! Estou aqui!'. E continuas a guiar-me. A preencher-me a alma. A aconselhar-me. A amar-me. Tal como eu te amo a ti. Tanto. Tanto. Tanto. Todos os dias", confessou, ainda, João Soares, antes de rematar: "Como sempre te disse: 'Amo-te hoje, um pouco mais do que ontem, e um pouco menos do que amanhã.' Até ao fim da minha vida. A falta que me fazes... Minha João."