TVI

Cristina Ferreira: "Qualquer pessoa na TVI é livre de fazer o que bem entender"

Cristina Ferreira falou sobre a última gala do "Big Brother" e garantiu que os apresentadores da TVI têm liberdade para dizer o que quiserem.

À margem da antestreia da novela "Para Sempre", Cristina Ferreira foi questionada pelos jornalistas sobre a última gala do "Big Brother", apelidada de "gala à antiga, com muita tensão".

A Diretora de Entretenimento e Ficção da TVI recordou que o "Big Brother" é um formato que "assenta muito nos temas polémicos e nas atitudes [dos concorrentes]".

"Se recuarmos 20 anos, ao primeiro "Big Brother", percebemos que foi à conta do episódio do Marco, que até hoje se volta a relembrar e que chamou a atenção dos portugueses... Os concorrentes, hoje em dia, são muito mais treinados naquilo que é um reality show. Eles sabem muito bem o que acontece cá fora, o que devem ou não fazer, só que há momentos em que se esquecem e é nesses momentos que são apanhados na curva", elucidou Cristina Ferreira, que garantiu que os apresentadores têm liberdade para dizer o que quiserem.

"Qualquer pessoa na TVI é livre de fazer o que bem entender. O que não impede que, mais tarde, haja uma reflexão entre todos sobre se o que fez foi bem feito ou não. Não há  ninguém que tenha qualquer tipo de constrangimento, nem apresentadores, nem comentadores, ou não estariam no lugar em que estão. E, enquanto tiverem a nossa confiança, estarão nesse mesmo lugar", salientou a apresentadora, antes de frisar: "Partilho da mesma opinião do Manel [Luís Goucha]. O tema deve ser discutido - e foi isso que foi feito -, o tema deve ser chamado à discussão - dentro e fora da casa. Aquilo com que não podemos compactuar é com uma agressão ao Ricardo, que foi apelidado de coisas das quais não pode ser chamado, porque aí estamos nós a cometer o mesmo erro."

"O 'Big Brother' é um projeto que serve, também, para que possamos discutir problemas transversais a toda a sociedade e que fazem parte da vida de todos nós. Não nos podemos esquecer que isto é uma novela da vida real e que as pessoas que estão lá dentro são em tudo semelhantes às que estão cá fora, só têm o senão de estarem a ser gravadas todos os dias, a toda a hora. Qualquer um de nós, ali dentro, seria uma daquelas pessoas", considerou Cristina Ferreira, frisando: "Que o Ricardo seja chamado à atenção, que tenha perceção que o que disse pode levar a interpretações diferentes, e que não o pode fazer, isso é uma coisa. Agora, compactuar com o 'fora', 'expulso', 'violador', isso não posso compactuar."

Ainda durante a gala do passado domingo, Vânia Sá disse que iria pedir uma auditoria à TVI, na sequência da expulsão da mãe, Felicidade. A Diretora de Entretenimento e Ficção do canal de Queluz de Baixo mostrou-se tranquila e fez questão de frisar que as reações ao programa nas redes sociais nem sempre se refletem nas votações.

"As redes sociais vieram dar uma ideia de vontade do público que não existe em relação às chamadas que são efetuadas. Ou seja, dentro de uma família há dez pessoas. Dez pessoas dizem uma coisa, há uma que diz o contrário e só uma é que vota, e os resultados são completamente diferentes. Portanto, estejam à vontade para pedir as auditorias que quiserem, porque nós sabemos muito bem o que estamos a fazer", salientou Cristina Ferreira.

Relacionados