Cristina Ferreira: "É ambição? É. Tenho mais poder? Tenho. E sabem que mais? Sou mulher"

Redação
Cristina Ferreira camaleónica: recorde os vários looks da apresentadora
Ana Arrebentinha "telefona" a Cristina Ferreira: "Comigo não brincam"
Cristina Ferreira de férias no Gerês
Cristina Ferreira rendida à cidade de Olhão
Cristina Ferreira, de férias, na Suíça

Ainda a propósito da mudança, o tema de capa da nova edição da revista Cristina, Cristina Ferreira publicou um longo texto no blogue Daily Cristina.

"Querem começar pelo cabelo ou pela vida? Comecemos pela mais importante, o conjunto de hábitos e costumes de alguém, o tempo que decorre entre o nascimento e a morte de alguém, assim se define 'Vida' no dicionário. Ganhei o hábito de, nos últimos anos, seguir a razão e o coração. Tem ganhado o coração", começou por escrever a apresentadora e, agora, Diretora de Entretenimento e Ficção da TVI.

"Nos últimos dias, várias pessoas me perguntaram sobre a reação da minha mãe. Há cerca de dois anos, tinha partilhado os seus receios em relação às mudanças repentinas da filha, que trocou 15 anos de história pelo incerto. Acho que deve ter tomado uma vacina qualquer na altura, porque, desta vez, mostrou-se apenas orgulhosa da mesma filha", contou.

Sobre aqueles que não a conhecem, mas continuam a opinar sobre as mudanças na vida apresentadora, Cristina Ferreira afirmou: "Podem achar estranho. Como é que alguém se atreve a mudar de um sítio onde viveu o sonho e era, supostamente (como sempre) feliz? Porque quer ser mais feliz. Porque os sonhos podem crescer, porque podem ter limite definido, porque podem estar concluídos. O meu há meses que estava. Sabem quando não há mais nada a fazer porque o melhor já foi feito? É isso. Poderia ali ficar mais 20 anos. E nunca a sensação de profunda felicidade, desassossego, voltaria. Porque estava feito. E muito bem feito. É nestas alturas que a vida nos põe à prova. Há os que ficam no estável, no certo, no que desejaram. E está bom, está certo."

Por último, apresentadora fez, ainda, questão de responder às muitas críticas que recebeu e a alguns títulos que surgiram na imprensa, logo após a mudança da apresentadora para a TVI: "Desculpem-me ser 'ambiciosa, gananciosa, sedenta de poder e traidora' (assim foi apelidada a minha mudança de estação). Por mais adjetivos que lhe atribuam, eu só tenho uma palavra para a definir: certeza. Eu tinha a certeza de que isto ia acontecer, talvez mais tarde, mas chegou agora. E desculpem-me viver o Agora, mas não sei lidar com os 'ses' da vida. E o sonho que parece ter sido interrompido é apenas alimentado de mais vontade. Deixou de ser um programa para passar a ser uma estação inteira. É ambição? É. Vou ganhar mais dinheiro? Vou. Tenho mais poder? Tenho. E sabem que mais? Sou mulher. E não digo isto porque fica bem ou por ser esse o ângulo que devo utilizar, para ganhar mais uns pontos. Digo-o porque a nenhum homem, quando muda, são atribuídas as palavras 'ganância', 'traidor' ou 'sedento de poder'. Num homem é crescimento. Talvez por isso me tenham dito, nos últimos tempos, que tenho uns grandes tomates. Deixem-me dizer-vos que não. Tenho mamas e uma vagina."