urlvisit

Kathryn Mayorga volta a levar Cristiano Ronaldo a tribunal

Georgina Rodriguez prepara festa surpresa para Cristiano Ronaldo
Real Madrid nega ter pressionado Ronaldo a assinar acordo com Kathryn Mayorga
"Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga estavam num jogo de sedução mútua"
Defesa de Kathryn Mayorga acusa Ronaldo de 11 crimes
Cristiano Ronaldo na Selfie

Cristiano Ronaldo volta a enfrentar Kathryn Mayorga, que, agora, tenta provar que não estava bem psicologicamente quando aceitou o dinheiro que o futebolista lhe pagou.

Cristiano Ronaldo poderá ter de pagar uma nova indemnização a Kathryn Mayorga.

A norte-americana, que acusou o futebolista de a ter violado em 2009, vai tentar, agora, provar que não estava bem psicologicamente quando aceitou os cerca de 300 mil euros que Cristiano Ronaldo alegadamente lhe pagou.

Kathryn Mayorga pretende avançar com uma nova ação judicial contra CR7 e, de acordo com o The Sun, vai exigir mais 181 mil euros ao jogador pelos danos que lhe causou.

A defesa de Cristiano Ronaldo alega que "Mayorga não pode provar que não estava nas suas plenas faculdades mentais para concordar com o acordo".

Contudo, o juiz que está a analisar o caso emitiu um parecer diferente: "Ela fornece declarações escritas de um psiquiatra e de um terapeuta, que a trataram nos últimos cinco anos, sobre a alegada agressão sexual, e que garantem que ela não tinha capacidade para celebrar o acordo no momento em que o assinou."
 
Segundo a mesma publicação, as equipas jurídicas de Cristiano Ronaldo e Kathryn Mayorga têm até 30 de novembro para se reunirem e marcarem a data do julgamento.

Recorde-se que Cristiano Ronaldo sempre negou as acusações e afirmou que o valor pago a Mayorga não é uma admissão de culpa, apenas o custo para manter as acusações longe dos media.

Em 2019, após ter sido divulgado o acordo de confidencialidade assinado em 2010, pela revista de jornalismo de investigação Der Spiegel, no âmbito do escândalo "Football Leaks", as autoridades do Nevada abriram uma investigação contra Cristiano Ronaldo, que não avançou por não haver provas "para além da dúvida razoável".