Após tragédia, equipa do piloto Paulo Gonçalves abandona Rali Dakar

com Lusa
Paulo Gonçalves (Hero Motosports)

De luto pela morte do piloto português Paulo Gonçalves, a equipa Hero não vai continuar até ao fim da 42.ª edição do Rali Dakar.

A Hero, equipa de Paulo Gonçalves na edição 42.ª do Dakar, anunciou esta segunda-feira a saída antecipada da prova que decorre na Arábia Saudita, na sequência da morte do piloto português.

"Toda a equipa da Hero MotoSports está em profundo luto depois da trágia perda do nosso piloto Paulo Gonçalves no domingo. Com imenso respeito pelo nosso colega que partiu, a Hero não vai continuar a sua participação no Rali Dakar 2020", escreveu a equipa, em comunicado, através da rede social Twitter.

Paulo Gonçalves faleceu no domingo, aos 40 anos, após uma queda na sétima etapa do Dakar, prova na qual participava pela 13.ª vez na carreira.

Lesões "graves na cabeça, coluna e pescoço" terão sido a causa da morte do português, adiantou fonte da equipa, à agência Lusa.