SIC

Maria João Abreu faria 58 anos. Recorde a carreira da atriz

A atriz Maria João Abreu morreu a 13 de maio de 2021, mas permanece nos corações dos familiares, amigos e milhares de fãs.

Maria João Abreu, uma das mais conhecidas e acarinhadas atrizes portuguesas, partiu cedo demais, em 13 de maio de 2021, após a rutura de dois aneurismas.

A atriz tinha 57 anos e uma carreira repleta de trabalho, dedicação e aplausos. Festejava, esta quinta-feira, dia 14, o 58.º aniversário.

A noticia da morte da artista deixou Portugal em choque, e chegou 13 dias depois de se saber que Maria João Abreu tinha dado entrada, com gravidade, no Hospital Garcia de Orta. O alarme foi dado depois de atriz ter desmaiado durante as gravações da novela "A Serra", da SIC, a última em que participou.

Por sua vez, a primeira aparição em televisão surgiu em 1988, em "Uma Bomba Chamada Etelvina", da RTP. Porém, estreou-se, enquanto atriz, em 1983, num musical de Armando Cortez, "Annie", no Teatro Maria Matos. Desde então, tornou-se no rosto principal de vários espetáculos de revista no Parque Mayer, assim como em outros espaços emblemáticos do nosso país, brilhando, paralelamente, na "caixinha mágica".

No ano de 1993, mudou-se da estação pública para a TVI, mas regressou, entretanto, ao ponto de partida, onde integrou o elenco da icónica série "As Lições do Tonecas".

No entanto, aquele que, ainda hoje, é um dos papéis mais emblemáticos de Maria João Abreu, surgiu em 1998, já na SIC. Falamos da carismática Lucinda de "Médico de Família". Quem nunca trauteou "Ó troilaré, ó troilará, vieste p'ra mim, vieste p'ra cá"?

Nesse ano, marcado pela ascensão do respetivo trajeto profissional, fundou, com José Raposo [com quem esteve casada entre 1985 e 2008] a produtora "Toca dos Raposos".

A carreira de Maria João Abreu contou, ainda, com breves passagens pelo cinema. Falamos dos filmes "Amo-te Teresa"(2000), de Ricardo Espírito Santo e Cristina Boavida; "Telefona-me!" (2000), de Frederico Corado; "Call Girl" (2007), de António-Pedro Vasconcelos; "A Mãe é que Sabe" (2016), de Nuno Rocha; e, o mais recente, "Submissão" (2019), de Leonardo António.

Voltando à televisão, a atriz foi coprotagonista da novela "Paixão", da SIC, em 2017. Dois anos depois, Maria João Abreu conquistou o tão ambicionado papel de protagonista, pela primeira vez, em "Golpe de Sorte", série do mesmo canal, que se tornou um verdadeiro sucesso de audiências.

Na altura em que morreu, para além de "A Serra", como foi referido, a artista fazia parte do elenco da sitcom "Patrões Fora", da SIC.

A intérprete tinha dois filhos, Miguel e Ricardo Raposo, fruto do primeiro casamento, com o, também, ator José Raposo.

Atualmente, era casada com o músico João Soares, desde 2012.

Recorde, agora, connosco, Maria João Abreu, na galeria de imagens que preparámos para si!

Relacionados