urlvisit

Rainha Isabel II vê o príncipe Harry como "uma alma perdida"

Rainha Isabel II na SELFIE
A nova vida de Meghan Markle e do príncipe Harry nos EUA
Meghan Markle e príncipe Harry regressam a Inglaterra
Príncipe Harry canta ao lado de Jon Bon Jovi
Príncipe Harry participa na Britain Africa Summit

Andrew Morton, biógrafo real, revelou que a rainha Isabel II sempre percebeu a dor do príncipe Harry, por estar constantemente atrás do irmão.

A decisão do príncipe Harry e Meghan Markle abandonarem a realeza britânica continua a causar celeuma, sobretudo após a polémica entrevista do casal a Oprah Winfrey.

Contudo, Andrew Norton, especialista na realeza britânica e biógrafo real, assegura que a rainha Isabel II nunca irá desistir do príncipe Harry ou fechar-lhe a porta de "casa".

Segundo Andrew Morton, a monarca entende a posição de Harry, que, tal como a irmã de Isabel II, a princesa Margarida, cresceu sempre no lugar de "spare", isto é, substituto.

"Acho que a rainha sabe que ser substituto é difícil e uma parte dela reconhece que o Harry, por vezes, é uma alma perdida, tal como a irmã", disse Andrew Morton, em entrevista à People.

"Ela sempre quis proteger o Harry e penso que isso se deve em parte por ter visto a Margarida a ser vítima do sistema. Silenciar a princesa Margarida não ajudou e a rainha aprendeu isso. Ela não quer que a história se repita", assegurou o biógrafo. 

"Quando se comparam as personalidades, o Harry é tal como a Margarida, um membro da realeza rebelde. A Margarida uma vez disse que a 'desobediência é a minha alegria' e vê-se um pouco isso no Harry. A rainha, também, sabia que a Margarida se sentia a mais e acho que foi por isso que se certificou que a porta estaria sempre aberta caso o Harry quisesse regressar", explicou Andrew Morton.