Internacional

Palácio de Buckingham quebra silêncio após entrevista polémica de Harry e Meghan Markle

O Palácio de Buckingham garantiu que as alegações de racismo estão a ser "levadas muito a sério" e que Meghan Makle e o príncipe Harry continuam a ser membros "muito queridos" da família real.

  • 9 mar 2021, 19:08
com Lusa

"A família inteira fica triste, ao saber de como os últimos anos foram difíceis para Harry e Meghan. As questões levantadas, principalmente as de racismo, são preocupantes. Embora as memórias [do que aconteceu] possam variar, são levadas muito a sério e serão tratadas pela família em privado", pode ler-se no comunicado do Palácio de Buckingham.

"Harry, Meghan e Archie serão sempre membros muito queridos da família", conclui.

No entanto, Meghan Markle, revelou, numa entrevista concedida a Oprah Winfrey, que um membro da família real terá manifestado preocupação antes do nascimento de Archie sobre "quão escura" a pele da criança poderia ser.

Entretanto, a apresentadora de televisão clarificou que a pessoa em causa não foi nem a rainha Isabel II nem o marido, o príncipe Filipe, e que Harry se recusou a identificar quem fez o comentário.

Na entrevista, Meghan Markle disse, também, que teve pensamentos suicidas, mas que lhe foi negada ajuda profissional para não afetar a reputação da família real.

Já o príncipe Harry acusou a imprensa tabloide de ser "racista" e disse que o pai, o príncipe Carlos, deixou de atender o telefone quando o casal manifestou a intenção de se afastar da família real, o que aconteceu na primavera de 2020, e ficou conhecido como "Megxit".