urlvisit

Tom Cruise devolve três Globos de Ouro após polémica

Os anos não passam por Tom Cruise...
Ainda se lembra das estrelas de "Top Gun"? Veja como estão agora Tom Cruise, Val Kilmer e Kelly McGillis
A passadeira vermelha dos Globos de Ouro 2021

Tom Cruise devolveu os três Globos de Ouro que recebeu ao longo da carreira, após a entidade que vota estar envolvida numa série de polémicas.

Tom Cruise reagiu, assim, a uma série de polémicas relacionadas com a falta de diversidade e subornos em troca de nomeações, que foram denunciadas numa reportagem do Los Angeles Times.

Os prémios de Melhor Ator nos filmes "Nascido a 4 de julho", de 1990, e "Jerry Maguire", de 1997, bem como o de Melhor Ator Secundário em "Magnólia", de 2000, foram enviados para a sede da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood [HFPA, sigla em inglês].

A decisão de Tom Cruise, de 58 anos, surge depois dos atores Mark Ruffalo e Scarlett Johansson se juntarem a um movimento que pede que a HFPA se afaste da organização dos Globos de Ouro até que sejam feitas "reformas substanciais".

Na reportagem foram detalhadas práticas duvidosas da Associação, além de constatar que, dos 87 membros, não há nenhum negro na HFPA. O jornal acusou, também, a Associação de receber presentes em troca de indicações ao Globo de Ouro, dando como exemplo o facto de a Netflix ter oferecido viagens de luxo a Paris a vários membros, antes de a série "Emily In Paris" receber duas indicações aos prémios deste ano.

Um dos primeiros boicotes à organização foi feito pela NBC, que anunciou que não irá transmitir o evento em 2022, deixando a cerimónia sem transmissão oficial.

"Continuamos a acreditar que a HFPA está comprometida a fazer uma reforma significativa. No entanto, uma mudança dessa magnitude demora tempo e dá trabalho, acreditamos fortemente que a HFPA precisa de tempo para fazer isso corretamente. Como tal, a NBC não irá transmitir os Globos de Ouro de 2022. Supondo que a organização cumpra com a sua palavra, temos esperança de estar em posição de transmitir o programa em janeiro de 2023", lê-se num comunicado divulgado pelo canal televisivo.

Também a Netflix, a Amazon e outras plataformas de streaming anunciaram boicotes.