urlvisit

Após morte de Pedro Lima, Sofia Nicholson deixa mensagem emocionante e apela: "Tenham respeito, não inventem"

Pedro Lima e a família na Selfie
Liliana Campos partilha homenagem única a Pedro Lima: "Finalmente, encontraste a tua Paz"
Em lágrimas, Sofia Ribeiro despede-se de Pedro Lima: "Uma das pessoas mais amáveis"
Pedro Lima e Anna Westerlund na Selfie
Pedro Lima na ficção da TVI

A trágica e inesperada morte de Pedro Lima tem sido lamentada e chorada por inúmeros colegas. Sofia Nicholson foi uma das figuras que deixou uma mensagem emocionante sobre o colega e amigo, bem como uma advertência.

Depois de ter sido noticiada a morte de Pedro Lima, uma chuva de comentários e questões sobre razões e porquês apoderou-se da Internet. A atriz decidiu, assim, pôr um travão aos mal informados, exigindo respeito neste momento de luto.

"Muito me questiono desde ontem. Numa qualquer letargia que no entanto não me anestesia o pensamento. Muitos de nós, que privavam com o Pedro, andam num turbilhão de flashbacks à procura de sinais, à procura de pontas soltas que podíamos ter agarrado para evitar esta tragédia.
Não nos vale de nada", começou por escrever, numa publicação que contou com uma imagem de uma citação anónima:"Um dia a lágrima disse ao sorriso: invejo-te, pois sempre estás feliz. O sorriso respondeu: engana-te, pois muitas vezes sou o disfarce da tua dor".

"Desde ontem, leio de tudo um pouco, muitas barbaridades sobre o que aconteceu, sobre o que se passava com ele, e muitas declarações inflamadas de “entendidos” sobre o que se deveria ter feito. Tenham decoro, tenham respeito, não inventem. Ninguém, absolutamente ninguém tem culpa ou responsabilidade sobre o sucedido. Da mesma forma que não temos por ter tensão alta, diabetes ou cancro. A depressão é uma doença. Defino-a há anos como o cancro da alma. Sim, podemos ter tudo e estarmos rodeados de amor e ainda assim sofrer de depressão. Existe ainda demasiado tabu ao redor de tudo o que foca a saúde mental. O facto de fazer terapia ou de tomar antidepressivos não faz de nós maluquinhos", continuou.

"Efectivamente, a depressão pode estar ligada a qualquer circunstância do passado e ser entendida através de terapia como também e simplesmente pode ser provocada por um défice químico no nosso cérebro ligado a uma má transmissão de neurotransmissores (desculpem a redundância) podendo ser ajudada com a toma de antidepressivos. Não me cabe a mim explicar exactamente o que é, existem profissionais que o farão certamente muito melhor que eu. O que é importante aqui reter é que o tabu leva ao isolamento, ao silencio, à solidão. E que em certos casos, se for falado, sim podem salvar-se vidas. Mas nem sempre", acrescentou.

"Pode haver um 'curto circuito'. O que o provoca? Temos casa, trabalho, família, amigos verdadeiros, estamos rodeados de amor, de afecto e ainda assim existe um vazio, um buraco negro, um abismo do qual não nos conseguimos afastar. Porque nos chama ele? Porque nos atrai? Porque lhe damos mais valor que tudo o resto? Que dor de alma é tão forte e insuportável a ponto de largar o que mais se ama? Que sofrimento é esse que nem o amor que recebemos chega para o apaziguar? Estejamos atentos aos outros, não tenhamos receio ou vergonha de declarar o nosso amor, estejamos presentes, e sobretudo não julguemos ou apontemos o dedo ao outro, nao sabemos nunca o quão difícil pode ser a sua jornada e o que esconde o seu sorriso", concluiu. 

Recorde-se que o corpo do ator Pedro Lima foi encontrado, por volta das 10:00 horas do passado sábado, dia 20, na praia do Abano, em Cascais, segundo fonte da Autoridade Marítima. Foi por volta das 08:20 horas do mesmo dia que a PSP foi contactada por pessoas próximas do ator, preocupados com a ausência de Pedro Lima, por causa de uma carta deixada por este.