urlvisit

Em lágrimas, Rita Pereira fala sobre racismo: "Não quero que o meu filho seja apontado por ter uma cor diferente"

Rita Pereira: «O meu marido está a receber mensagens racistas»
Rita Pereira explica porque não mostra os olhos do filho, nas redes sociais
Rita Pereira: «Foi um dos maiores prazeres que tive nesta quarentena»
Rita Pereira revela os seus favoritos no Big Brother
Rita Pereira na SELFIE

Rita Pereira fez declarações emotivas acerca da forma como tem de lidar, diariamente, com o racismo.

Rita Pereira esteve à conversa com Fátima Lopes, no programa "A Tarde É Sua", e revelou como viveu esta quarentena ao lado do namorado Guillaume Lalung e do filho Lonô, que a atriz prefere resguardar nas redes sociais.

"Ele é muito carinho e expressivo e tem uma personalidade forte", descreveu Rita Pereira, antes de recordar um episódio em que, durante uma brincadeira, Lonô lhe atirou com um brinquedo de madeira à cabeça, deixando a atriz com um 'galo'.

Depois, a atriz emocionou-se ao falar sobre racismo e a repercussão do caso George Floyd. "Eu também vivo isto. Não consigo estar sentada e ao meu lado estar o meu marido que me diz que está a receber mensagens racistas", contou, em lágrimas, a atriz. "É impossível. Eu não quero que, quando o meu filho cresça, esteja a receber as mesmas mensagens de racismo. Não quero que o meu filho seja seguido numa loja. Quero que o meu filho possa entrar numa loja de roupa, sem olharem para a cor dele", sublinhou.

Rita Pereira confessou, ainda, que não quer que o filho "seja apontado porque tem uma cor diferente". "Quero que o meu filho possa apanhar um táxi durante a noite, na rua. (...) Quero que ele possa entrar num discoteca, tranquilamente, sem ter de ouvir: 'Não, porque já estão muitos pretos. Não podem entrar mais'. Quero que o meu filho seja livre", sublinhou, antes de reiterar: "Não quero ouvir o meu marido dizer que recebeu uma mensagem a dizer: 'Vai para a tua terra, preto de m****'."

No final, Rita Pereira assegurou que vai à manifestação que está a ser organizada em Lisboa, não por ser uma figura pública, mas porque isso a toca "profundamente". "Acho, sinceramente, que os pais, em casa, têm de começar a falar sobre o racismo", apelou a atriz.

Veja, agora, os vídeos com as declarações de Rita Pereira.