José Alberto Carvalho faz relato arrepiante da devastação causada pelos fogos

José Alberto Carvalho faz relato pessoal da devastação causada pelo fogo
José Alberto Carvalho na Selfie

Os fogos de 15 e 16 de outubro juntaram-se no maior incêndio de que há memória em Portugal. Natural de Penacova, José Alberto Carvalho regressou a alguns dos locais para relatar, na primeira pessoa, como o interior está a sofrer o mais dramático e fulminante golpe de sempre.

"O país sofreu um impacto equivalente a um bombardeamento massivo numa vasta área entre o Rio Tejo e o Minho. Nasci e cresci no interior. E nos últimos dias testemunhei a angústia de inúmeras pessoas. Se todos os portugueses tiverem uma melhor noção do que verdadeiramente aconteceu, acredito que seja mais fácil dar um novo sentido de vida a metade de Portugal. E acabar com a cheap talk do despovoamento do território. Nos próximos dias espero poder dar sugestões do que todos podem fazer para ajudar a reerguer toda a região. Acredito que sentiremos um enorme orgulho se conseguirmos fazer a nossa parte...", começou por escrever o jornalista nas redes sociais.

Incapaz de ficar indiferente a esta tragédia, José Alberto Carvalho fez um relato arrepiante da devastação causada pelos fogos: "Percorri cerca de 400 Km ao longo da semana em vários dos concelhos mais destruídos pelos incêndios de 15 e 16 de Outubro. Ouvi dezenas de pessoas. Vi muitas com as mãos, braços e rosto com ligaduras, devido às queimaduras. Espero ter percebido a sua angústia, mesmo que ela seja temperada pela determinação e pela generosidade. O que mais me perturbou foi a devastação da natureza; a brutalidade de extensão de território petrificado; os milhões de árvores, campos de cultivo e casas dizimados. Afinal.. o que faz de um determinado local 'a nossa terra' é exatamente isso: a terra. O que dela brota; como ela se manifesta perante os nossos sentidos."