Ana Bola sobre Tony Carreira: "Não é autor, mas sim 'ladrão' de músicas"

Tony Carreira e Ana Bola

Ana Bola recorreu à página de Facebook para falar sobre as acusações de plágio que recaem sobre Tony Carreira.

O cantor português foi, recentemente, acusado pelo Ministério Público de 11 crimes de usurpação. Alguns dos temas de maior sucesso do cantor português são, alegadamente, da autoria de artistas estrangeiros. Ana Bola não se mostrou indiferente às acusações e decidiu, assim, "lançar farpas" a Tony Carreira, através das redes sociais.

"Portanto,vamos lá ver se eu percebi.O Tony Carreira "roubou" 11 músicas a autores estrangeiros.Isso equivale a muitos milhares de euros,diria mesmo largas centenas de milhares de euros,em vendas desses discos e dos respectivos concertos em que se tocaram e cantaram essas músicas.Não só o dinheiro dessas vendas,mas também os direitos de autor pagos pela S.P.A.(Sociedade Portuguesa de Autores).Não sei se sabem,mas cada vez que uma dessas músicas é passada na rádio,ou na televisão,ou em espectáculos,pinga dinheiro para o autor,o que é justíssimo.Neste caso pinga para o "putativo" autor,que não é autor,mas sim "ladrão" de músicas.O "surripiador" agarra em loucos 20.000 mil euros,da sua fortuna, também feita por conta de outrém,e dá então uma ajudinha para as vítimas dos fogos,e não se fala mais nisso.Eu percebi bem? É que se percebi,das duas uma ,ou agarro no pano encharcado como se não houvesse amanhã, ou a partir de hoje também começo a gamar,porque a trabalhar não me safo", lê-se na página de Facebook de Ana Bola.

"Olha,agora de repente senti-me a Maria Vieira.E o marido.E isso não é bom. Da série 'SOU ALÉRGICA À LATOSA'", rematou a atriz.

Recorde-se que no processo do qual Tony Carreira é arguido, encontram-se discriminados os 11 temas alegadamente plagiados e, entre os vários, podemos encontrar dois grandes hits: "Sonhos de Menino" e "Depois de Ti Mais Nada".

“Se acordo e tu não estás eu morro”, “Adeus até um dia”, “Esta falta de ti”, “Já que te vais”, “Leva-me ao céu”, "Nas horas da dor”, “O anjo que era eu”, “Por ti” e “Porque é que vens” são as outras nove músicas que constam do processo.