"Conta-me Como És": Carlos Cruz assume que "não tinha a mínima razão para estar vivo"

Fátima Lopes entrevista Carlos Cruz no "Conta-me Como És"
Helena Sacadura Cabral convidada no "Conta-me Como És" com Fátima Lopes
Marco Paulo convidado de Fátima Lopes no "Conta-me Como És"
Fátima Lopes assinala o fim da 1.ª temporada do "Conta-me Como És"

Em entrevista a Fátima Lopes, o antigo apresentador falou sobre o polémico processo Casa Pia, que o levou à prisão, e confessou que viveu "uma grande crise existencial" em que pôs em dúvida a vida.

"Há injustiças que são inevitáveis e essas custam mais do que as outras", afirmou Carlos Cruz, apresentado por Fátima Lopes como "alguém cuja história se confunde com a da própria televisão".

A apresentadora foi desfiando a longa carreira de Carlos Cruz e não deixou de lado também a vida amorosa do "senhor Televisão", que foi casado duas vezes, com Marluce, mãe de Marta Cruz, e Raquel Rocheta, com quem teve Mariana.

"Fui um pai mais ausente do que deveria ter sido", assumiu ainda o antigo apresentador, que recordou a provação que levou ao fim do segundo casamento, mas frisando que mantém a relação próxima das duas ex-mulheres, que continuam parte da família.

Raquel Rocheta, que o ex-apresentador apelidou de "uma das grandes paixões" da sua vida, foi "uma das grandes vítimas do processo Casa Pia".Carlos Cruz recordou a bonita história de amor que viveu ao lado da mãe da sua filha mais nova, Mariana, que tinha 10 meses aquando da sua detenção.

Sobre o processo Casa Pia, Carlos Cruz revelou que passou por "uma grande crise existencial" e que entrou "numa fase em que punha em dúvida a vida": "não tinha a mínima razão para estar vivo".

Um "Conta-me Como És" muito revelador, que vale a pena rever.