"Amar Depois de Amar": o que tem a dizer o elenco sobre a nova série da TVI?

"Amar Depois de Amar": o que tem o elenco a dizer sobre a nova série
Apresentação de "Amar Depois de Amar"
Conheça o elenco de luxo da nova série da TVI, "Amar Depois de Amar"

A Selfie marcou presença na apresentação da nova aposta da ficção da TVI, "Amar Depois de Amar", e esteve à conversa com o elenco.

"Por que é que a história se chama assim? Porque há amores que terminam e nos deixam com uma descrença no amor, mas, depois, a vida encarrega-se de nos surpreender e de nos dar uma nova oportunidade de encontrar o amor... Também há pessoas que estão resignadas com o amor que têm e, de repente, a vida encarrega-se de as desafiar com novos amores e obriga-as a escolher entre um amor que já conhecem e outro que não conhecem, mas que sentem quase uma força do destino a impeli-los para este amor", começou por explicar Pedro Lima sobre "Amar Depois de Amar".

Nesta série de suspense, Isabel Figueira dá vida a uma personagem que foi vítima de violência doméstica, durante 15 anos: "Aprendemos muito com as personagens e esta personagem teve um impacto muito grande na minha vida." Já Rodrigo Trindade interpreta "uma personagem complicada, um rapaz rude", desafio que tem agarrado com unhas e dentes.

Tomás Alves destacou a excelência deste elenco, bem como Maria João Pinho: "O casting é perfeito, o que é muito difícil de conseguir. Não podem perder, porque as pessoas precisam destas histórias. Vão gostar, vão rever-se, vão sentar-se e vão relaxar e vão identificar-se, vão rir e vão chorar."

Por sua vez, Pedro Teixeira destaca as cenas em que contracena com Fernanda Serrano, que não podia estar mais satisfeita com o resultado final: "Não me recordo de ter visto assim uma história em que se refere o amor, a paixão e a traição de uma forma tão bonita e romanceada como nesta série. Já temos em nosso poder o último episódio. Eu chorei com o final que foi escrito. Vai fazer-nos rir, chorar e pensar muito no amor que temos e naquele que gostaríamos de ter, mas que, se calhar, ainda não chegou o tempo de o conquistar, ou, então, algo irá, ainda, acontecer na nossa vida. Há que não perder a esperança."