Emocionado, Fernando Pereira afirma: "Envelhecemos quando deixamos de nos apaixonar"

Igor Pires
Conta-me como és - Fátima Lopes entrevista Fernando Pereira
Fernando Pereira no "Conta-me como és"
Bárbara Branco no "Conta-me Como És"
Soraia Tavares no "Conta-me Como És"
Rui Maria Pêgo é o convidado de Fátima Lopes no próximo "Conta-me Como És"

O artista Fernando Pereira teve uma conversa emotiva com Fátima Lopes, no programa "Conta-me como És".

Fernando Pereira foi o convidado deste sábado, dia 14, de Fátima Lopes, no programa "Conta-me como És". Numa conversa franca, o ex-jurado da edição mais recente de "A Tua Cara Não me é Estranha" abordou o trajeto pessoal e profissional.

A ligação à música surgiu desde a infância, altura em que percebeu o dom da sua voz: "Na minha família, os meus pais, os meus primos, toda a gente cantava. Nasci no seio de uma família ligada à arte e à musica", explicando, ainda, que tem "uma capacidade incrível [para imitar vozes] que não sabe explicar como e porquê".

Fernando Pereira recordou, igualmente, os tempos conturbados da adolescência: afinal, foi nessa época que aconteceu o 25 de abril e, nesse dia histórico, o artista chegou a levar um tiro, tendo, ainda, sido preso pela PIDE: "Íamos para as aulas e, de repente, a escola estava fechada. Havia um grupo de jovens que gritava ‘viva à liberdade’… A PIDE colocou-se à janela e levei um tiro num braço. Fiquei sem reação, a ver o sangue, e foi este meu amigo [José Martins, amigo de infância, que concedeu um depoimento para o programa] que me salvou a vida", recordou.

Fernando Pereira foi para o Hospital de São José, em Lisboa, e quando saiu tinha um agente da PIDE à sua espera. "Fiquei preso... Ainda levei alguns tabefes", recorda.

Além de lembrar os êxitos profissionais, Fernando Pereira fez questão de sublinhar que é um "homem de sucesso" na vida pessoal, como pai e como filho.

"Eu adoro a minha família. Tenho uma memória de gratidão, de mimo. Os meus pais sempre fizeram de tudo para que nunca nada nos faltasse. Sempre respeitaram as nossa decisões. A minha mãe partiu no Dia dos Namorados e foi ter com ele [o pai de Fernando Pereira], presumo eu. Quando perdes um dos pais ficas sem chão, quando perdes o outro ficas sem teto. É um sentimento de vazio e tu sentes que entre ti e o Criador já não existe mais ninguém. Sinto que, de alguma forma, apesar de não estarem fisicamente, estão nesta conexão espiritual. Nós somos energia e seres espirituais, disso não tenho dúvida nenhuma", garante Fernando Pereira. 

Quanto ao papel de pai, Fernando Pereira conta que é um homem orgulhoso: "Os meus filhos nunca disseram que eram filhos do Fernando Pereira. Foram educados, desde crianças, a ouvir que o nome do pai não interessa para nada. Apenas eles. [...] Eles são a minha vida. Tudo aquilo que eu podia, de alguma forma, transmitir de valores, de ética, de amor ao próximo, seja ele quem for e como for, eu transmiti. Somos, apesar de tudo, amigos e companheiros".

Quase no final da entrevista, Fátima Lopes surpreendeu o "Lord of the Voices" e leu uma carta de amor de São, a atual companheira de Fernando Pereira.

Emocionado, o artista confessou: "Sempre tive, obviamente, os meus relacionamentos, mas nunca pensei, aos 50 e tal anos, em me apaixonar novamente. Quando as pessoas pensam que deixamos de nos apaixonar, porque envelhecemos, é exatamente ao contrário. Nós envelhecemos quando deixamos de nos apaixonar".

(Re)veja a entrevista na íntegra.