José Pedro Gomes: "Quando tive o aneurisma, saí do hospital maluco"

Igor Pires
Conta-me como és - Fátima Lopes entrevista José Pedro Gomes

Em entrevista ao programa "Conta-me como És", o ator relembrou os momentos em que ficou entre a vida e a morte.

José Pedro Gomes foi o entrevistado desta semana do programa "Conta-me como És". Numa conversa com Fátima Lopes, e com algum humor à mistura, o ator relembrou alguns dos momentos mais importantes da sua vida. 

Apesar de se recordar de constantes discussões entre os pais quando ainda era criança, José Pedro Gomes não duvida que tenha tido uma infância feliz, com muitas brincadeiras com os amigos na rua.

Além disso, o seu percurso profissional nem sempre passou pelo teatro. "Trabalhei em fábricas. Foi muito importante porque tirei uma quantidade de peneiras e conheci mundos. Eu não conhecia outras maneiras de viver se não a minha: Portugal cinzento. Uma coisa que percebi é que havia países a cores", relembrou.

Afirmando ter algum mau feitio por não gostar de todas as pessoas, José Pedro Gomes recordou amizades importantes. E, como é óbvio, seria obrigatório recordar António Feio, seu companheiro de vida e no trabalho ao longo de tantos anos: "Com o António tinha uma relação especial. Se calhar de irmãos. Nós tivemos uma relação muito intensa, durante muitos anos, onde nos fomos encaixando. Eu era o tipo que reagia mais às coisas. O António era o tipo com mais cabeça." 

José Pedro Gomes falou ainda do aneurisma que sofreu em 2005 e que o colocou entre a vida e a morte: "Quando eu tive o aneurisma saí de lá [do hospital] maluco. Eles diziam, disse a psicóloga: 'Não sabemos quem é ele, neste momento, nem sabemos como é que vai ficar'", afirmou o ator, que, no entanto, conseguiu recuperar completamente desse problema de saúde e fintar a morte.

(Re)veja a entrevista completa, no vídeo acima.