EXCLUSIVO

Raquel Prates em entrevista exclusiva: "Não sei se a televisão também sente saudades minhas"

A SELFIE conversou, em exclusivo, com Raquel Prates, que é considerada uma das mulheres mais elegantes de Portugal.

Foi a primeira mulher portuguesa a fotografar para a capa da revista Vogue e colaborou com várias marcas internacionais, como Swarovski, Bvlgari Internacional e Hugo Boss Internacional. A moda é a sua grande paixão?

É uma das minhas paixões e até posso considerar uma inevitabilidade trabalhar nessa área. Desde cedo que considero a moda como um reflexo social, de uma forma de estar, de mais uma forma de comunicar.

Atualmente, é Diretora Geral e mentora da 39A Concept Store. Quer falar-nos um bocadinho sobre estes projeto?

A 39a Concept Store nasce justamente para mostrar uma nova Lisboa, com os designers que tinham marcas próprias, mas que, sem possibilidades de as comercializar num espaço próprio, principalmente numa zona privilegiada de Lisboa. O projecto também une outras vertentes como o design e arte, criando uma ponte para a exclusividade, mas sempre atento às tradições. Foi evoluindo, e este ano, fazemos 5 anos de idade, com o mesmo conceito e desenvolvendo a área de start up de novas marcas Nacionais e Internacionais. O próximo passo é a criação da sua marca própria.

Apresentou programas como o "Portugal Radical", "Dá-lhe Gás", “instinto Moda” e os "Prémios Blitz", entre outros. Gostava de voltar à apresentação?

Honestamente, não sei responder. Não sei se a televisão também sente saudades minhas. Os pressupostos televisivos mudaram muito desde a minha geração e, nesse sentido, só se o projecto fosse de facto muito importante e desafiador. 

É considerada uma das mulheres mais elegantes de Portugal. Que significado tem esse reconhecimento para si?

Fico feliz pelo reconhecimento. Sempre defendi que nada é comparável, que somos todos diferentes e únicos, e tudo tenho feito para tentar enaltecer as melhores características que encontro em todos os que me rodeiam, bem como em remir o que lhes traga maior desconforto. Somos só pessoas, a trilhar caminhos pessoais, carregados de adversidades e também coisas fantásticas. 

Acima de tudo, a elegância é uma forma de ser e de estar?

Enalteço a forma de ser, a de estar é uma consequência. 

Aos 43 anos, como é que se define, hoje, enquanto mulher?

Com a consciência de que acordo todos os dias com a inquietação de fazer mais e melhor. 

Que tipo de alimentação faz no dia a dia ou que cuidados tem com a alimentação?

Gosto de comer (uma surpresa para muitas pessoas!) por isso tento criar um ponto de equilíbrio numa dieta normal em que a prioridade é a saúde. Com alguma disciplina, mas sem radicalismo.

A alimentação é acompanhada de um plano de treino?

Não. Apenas as minhas caminhadas acompanhada por música. 

Juntos há 14 anos e casados há 12, a Raquel e o Murillo transmitem a imagem de um casal feliz e unido. O Murillo é o seu grande apoio? 

Somos o apoio um do outro e esse mundo é só nosso. É com ele que conto nos vários momentos do meu dia a dia, para isso temos um tempo que também o criámos. Assim, temos cuidados redobrados à exposição pública (dou o exemplo das redes sociais), desse mesmo espaço para que não existam agressões externas.