Mafalda Rodiles: "Hoje em dia não tenho nenhum complexo com o meu corpo"

A Selfie esteve à conversa com Mafalda Rodiles, atriz que iniciou a carreira televisiva na TVI, com a participação na série "Morangos Com Açúcar", e que, atualmente, se encontra no Brasil a abraçar um novo projeto.

Mafalda Rodiles
Mafalda Rodiles

Mafalda Rodiles, quando decidiu mudar-se para o Brasil, mudou o rumo da vida e decidiu colocar de parte a carreira na área da representação. Mafalda Rodiles agarrou, assim, um novo projeto: o blog Seja Feliz Sem Dieta, que pretende ajudar diversas mulheres, na relação de estas com a alimentação. Neste sentido, a Selfie decidiu saber mais sobre a forma como a jovem mãe mudou o estilo de vida, tendo em conta que chegou a passar por um transtorno alimentar.

1. Qual foi motivação que a levou a ultrapassar o transtorno alimentar que teve?

Durante muitos anos eu não sabia que tinha um transtorno, eu achava que simplesmente todas as mulheres viviam insatisfeitas com o corpo e fazendo dietas como eu. Eu consegui ultrapassar o meu transtorno quando engravidei e, quando soube que estava gerando um bebé., disse, para mim mesma, que tinha que parar de fazer dieta, e consegui.

2. Quando e como começou esse distúrbio alimentar?

Começou quando me disseram, numa agência de modelos, que eu precisava de emagrecer, se queria ser atriz. Eu tinha 48 kilos e 15 anos, era uma adolescente normal, que nem sabia o que eram dietas. A partir desse dia , comecei a tentar não comer, desmaiava de fraqueza, várias vezes, e essa obsessão por ser magra durou 15 anos. Mas, na verdade, ao longo dos anos é que ia ganhando peso, a cada dieta que fazia, porque o meu corpo se protegia de mim.

3. Encontrou muitas barreiras ao mudar o seu estilo de vida?

Tinha muitas ideias erradas de dietas e de coisas que fui ouvindo de vários nutricionistas, ao longo de 15 anos, mas, quando comecei a ver o meu corpo ficar muito melhor depois de parar de fazer dieta, fui investigar o que estava acontecendo e comecei a estudar sobre Alimentação Consciente e Intuitiva

4. O distúrbio alimentar foi embora de vez, ou ainda receia que este possa voltar?

Não receio que volte porque, hoje em dia, sei perfeitamente que o nosso psicológico controla tudo e eu trabalho com isso não é? Atendo centenas de mulheres, nas minhas turmas, e os meus dias são passados a falar de transtornos, dietas, comida e a ajudá-las. E é tão bom esse sentimento de poder transformar outras vidas, porque eu sei, perfeitamente, o que elas sentem.

5. Qual é que foi o momento-chave da sua vida que fez com que transformasse a sua relação com a comida, para algo saudável?

Foi quando parei de fazer dieta e, apesar de estar grávida,eu vi que não estava a engordar comendo comida normal. Percebi que a comida não é nossa inimiga, mas sim uma coisa vital: sem ela não podemos sobreviver

6. A maternidade influenciou, de alguma forma, a tua forma de encarar as dietas?

Sem dúvida nenhuma. Pelos motivos que já falei em cima e, também, porque quando somos mães deixamos de ser o centro do nosso mundo e as nossas prioridades mudam totalmente! E outra coisa que para mim é muito importante é saber que vou dar um bom exemplo à minha filha. Filhas que vêem as mães constantemente em dieta, ou a falar que estão gordas, têm muito mais chances de desenvolver transtornos alimentares.

7. Apesar de estar numa fase da vida em que se sente bem consigo própria, tem dias em que olha para o espelho e, assim como tantas outras mulheres, sente complexos com o seu corpo?

Hoje em dia não tenho nenhum complexo com o meu corpo, ele é meu, é único, é diferente de todos os outros, gosto muito dele e trato-o o melhor que sei! O meu corpo permite-me correr, andar, abraçar, sentir, ver, ouvir, comer, rir, amar, e isso tudo é maravilhoso!

Patrocinados