EXCLUSIVO

Úrsula Corona revela à SELFIE: "Quero casar-me este ano"

Úrsula Corona na Selfie
Úrsula Corona em exclusivo na Selfie antes da Festa de Verão TVI
O look de Úrsula Corona

Úrsula Corona juntou-se ao elenco de "Na Corda Bamba" e a SELFIE esteve à conversa com a atriz brasileira para falar sobre a carreira, mas também sobre a vida pessoal da mulher que se assume apaixonada por Portugal.

- Como é dar vida à vingativa Letícia na segunda temporada de "Na Corda Bamba"?
Cada personagem que interpreto tem os seus desafios e penso sempre onde posso levar a personagem dentro das linhas do que o autor criou. O desafio é se apropriar da personagem, dar vida à criação do autor. Adoro esta etapa, é quase como receber do autor ingredientes e meu desafio é criar o prato.

- O que sentiu quando recebeu o convite?
Adoro o trabalho de Rui Vilhena, o autor, conheço o trabalho dele há muitos anos, e sempre fui fã. Então o convite para trabalhar em uma obra dele foi maravilhoso! Fiquei muito feliz. Ter, ainda, a direção geral do inenarrável Marcos Schechtman, realmente, não há palavras para descrever a alegria. Conheci o Marcos em Paris, no festival de cinema, estávamos com filmes em exibição. Já o admirava há muito tempo, ele é grandioso e generoso. Voltar às telas portuguesas, país que me abraçou tão bem, numa grande emissora, com super profissionais em todas as áreas de produção, é um enorme prazer. Me sinto privilegiada de poder trabalhar, não só dentro da profissão que amo, mas ter a oportunidade de viver e conviver em um país que amo muito.

- Como é contracenar com este elenco?
O elenco é espetacular, aprendo com eles todos os dias, e isto me fortalece como atriz e pessoa.

- Sempre sonhou ser atriz? O que sonhava ser em criança?
Sim, desde criança. Foi a única profissão que quis para mim. Meu pai me fez estudar jornalismo para ter a segurança de um diploma, mas, graças a Deus, e muita dedicação consegui meu sonho de trabalhar com arte e viver do que amo.

- Como iniciou a carreira na representação?
Eu era uma criança tímida, então meus pais me colocaram em aulas de teatro. Isso foi uma ferramenta para me soltar e me encontrei logo. Comecei a carreira artística na TV Globo, com 8 anos. Estavam buscando uma atriz criança que cantasse e dançasse, além da atuação, para o especial "A Nave Mágica", do Augusto César Vannucci, da TV Globo. Foram mais de 500 crianças a esta seleção. E lembro-me do teste até hoje. Da música que cantei, da alegria que senti. Nunca senti medo ou tensão. Atuar desde pequena sempre me encheu de prazer.

- Também fez alguns projetos como apresentadora. Qual a área que mais a realiza?
Amo atuar e quero continuar me desafiando dentro dessa arte, mas sou uma comunicadora, adoro pessoas e tenho uma curiosidade nítida dentro de mim e, por isso, adoraria, também, fazer trabalhos como apresentadora... Meu pai é um grande comunicador, um jornalista que começou na rádio. Está no meu ADN... ( risos)

- Qual a personagem que mais gostou de interpretar?
É uma boa pergunta, mas uma para a qual não tenho resposta... mergulho de corpo e alma nas personagens que interpreto. Cada personagem me faz uma atriz melhor, aprendo um pouco mais em todos os papéis.

- E qual a que faz parte dos seus sonhos?
Os que ainda vou realizar! Lembro de parte de uma frase de Fernando Pessoa, em que ele fala: "Se tenho de sonhar, porque não sonhar os meus próprios sonhos". A frase é algo sim.... adoro Pessoa!

- Pode desvendar um pouco dos seus próximos projetos?
Comecei a dirigir, que aqui falamos realizar, e tem sido um novo desafio profissional. Através da minha produtora, a Sete Artes Produções, estamos produzindo duas séries da nossa autoria, das quais tenho muito orgulho. "O Silêncio que Canta por Liberdade", uma série investigativa que traça o impacto da censura imposta pela ditadura militar brasileira na música e os artistas no nordeste do Brasil. A outra é "Aos Passos de Alceu", série que traça a vida e trajetória de Alceu Valença, um dos maiores nomes da música brasileira.

- Tem uma empresa de produção cultural, um clube do vinho e uma linha de biquíni... Como tem tempo para tudo?
Organizo meu tempo como as gavetas de um armário. E, assim, em cada espaço tenho uma equipe e organização. Sozinha não se constrói nada. E valorizo muito a equipe e parceiros. Esse ano, lancei a minha linha de roupas sustentável feita de garrafa pet, criada pelo Beto Kelner e sou jurada, com muito orgulho, pelo segundo ano consecutivo, da principal feira de vinhos "Essência do Vinho", produzida pela "Revista de Vinhos", que acontece de 20 a 23 de fevereiro no Palácio da Bolsa, no Porto. 

- Além disso, também participa em três ONG's. Pode falar-nos sobre o seu trabalho neste campo?
Ao longo da minha carreira artística, que já soma 29 anos, sempre tive duas grandes paixões: a paixão pela profissão de atriz e apresentadora, e minha dedicação a projetos sociais. Esta dedicação ao social faz parte da minha essência. Fui tão bem acolhida pelos portugueses, desde o primeiro minuto quando cheguei para lançar "O Astro", que queria doar meu tempo para instituições e causas em Portugal. Já tenho doado meu tempo em prol de instituições como a Fundação O Século, a Casa de Proteção e Amparo de Santo António. Além de assistência aos moradores de rua que vem crescendo imenso. Sou muito grata a Portugal e, onde posso ajudar e ser útil aos portugueses, podem sempre contar comigo.
No Brasil, sou madrinha há 15 anos de 3 ONG's: "Estrela Sports", que usa o futebol como ferramenta para a promoção do empoderamento da mulher e da inclusão social de crianças e jovens de comunidades socialmente vulneráveis, e da formação de agentes de transformação social; AMICCA (Amigos da Infância e das Crianças com Câncer), associação que abriga crianças e seus responsáveis de todo o país, durante o processo de quimioterapia e radioterapia, e oferecendo cestas básicas e hospedagem para quem vive distante do INCA ( Instituto Nacional do Câncer); instituto "Argilando", que promove o empreendedorismo social para fomentar capital de giro, estimulando novos negócios, dando origem a novas empresas. 

- Divide o tempo entre o Brasil, Portugal e Inglaterra: o que mais ama em cada país?
No Brasil, amo o nosso verdadeiro povo brasileiro, o trabalhador, alegre, descontraído optimista e solidário com o próximo. Isto é a essência do verdadeiro brasileiro. Você sabe que está com o autêntico brasileiro quando sente a luz de sua simpatia e alegria. E isso não se define pela sua classe social. É da alma.
Em Inglaterra adoro ir aos museus, teatros e espetáculos. A Arte pulsa e me alimento e reciclo.
Em Portugal, país a que estou tão grata pelas oportunidades e a generosidade do povo que me acolheu, amo tudo! Tudo mesmo! Sua história, culinária, beleza natural, diversidade e os grandes amigos que tenho feito e continuo a fazer. Posso falar com sinceridade que levo a bandeira de Portugal por onde eu estiver pelo mundo.

- Já viveu em várias cidades, qual a sua favorita?
Lisboa!

- Como foi 'abandonar' o seu país natal há mais de uma década? O que a levou a sair e o que foi mais difícil na adaptação à Europa?
Na realidade, nunca abandonei meu país ou vou abandoná-lo. Tenho orgulho de ser brasileira, mas sou uma brasileira em um mundo globalizado. Há 10 anos decidi investir e arriscar na carreira internacional. Roberto Talma [diretor da Globo por anos e meu mentor e padrinho dentro da emissora] dizia que a minha coragem ia construir meus sonhos com diferencial. E assim foi.

- Sabemos pouco sobre a vida pessoal da Úrsula: como está, agora, o seu coração?
Meu coração está conquistado! Quero engravidar e construir uma família.

- Quais as qualidades que mais aprecia num homem?
Humor e leveza.

- É romântica?
Bastante. Adoro namorar.

- Qual a maior loucura que já cometeu por amor?
Atravessar o oceano para estar 12h com quem amo.

- O casamento faz parte dos planos?
Sim! Deve sair este ano! 

- Sonha ser mãe? Como se vê enquanto mãe?
Sonho em ser mãe todos os dias. Espero que seja como o pai: simpático, brincalhão, inteligente, talentoso com a alma leve.

- Qual o segredo da boa forma aos 37 anos?
Estar rodeado de pessoas que você ama e fechar a boca, de vez em quando... Mas, isso é difícil, em Portugal: come-se tão bem! Em 4 anos, eu mudei o meu corpo para o trabalho 6 vezes. Engordei 15 quilos, emagreci tudo, depois, engordei de novo 6, depois perdi, engordei 8... Emagreço fácil e me entrego às mudanças de cada personagem.

- Que cuidados tem com a alimentação?
Não como carne há 32 anos. Mas como tudo do mar. Evito açúcar. Como muita verdura e legumes... depois das 19h evito carboidratos.

- Pratica exercício físico?
Sim! Faço ginásio e também gosto de correr ao ar livre. Fora isso, amo esporte: vôlei é a minha paixão.

- Tem alguma rotina de beleza diária?
Sorrir!

- Há uns anos lutou contra um cancro: há uma Úrsula antes e depois da doença?
Em qualquer doença ou desafio aprendemos muito. Não podemos nos vitimizar e, sim, enfrentar com energia positiva. Nada é fácil. Quem está passando por qualquer problema entenda que a mudança começa em nós. A diferença de perguntar a si próprio: para que estou passando por isso? É melhor que perguntar: porquê? O para quê tem muita força. Estamos todos nesse mundo de passagem e valorizar os aprendizados é fundamental.