urlvisit

Cristina Esteves fala sobre cancro no lábio: "Podia rebentar a qualquer momento"

A jornalista Cristina Esteves descreveu como descobriu que tinha um tumor no lábio.

Cristina Esteves esteve à conversa com Cristina Ferreira e recordou a infância, altura em que desenvolveu o gosto pelo Jornalismo, mas que dividia com a área de Direito.

Depois, a jornalista falou sobre a importância que o pai teve na sua vida e a forma como lidou com a morte trágica do progenitor. "Foi de repente. Foi muito complicado. O meu pai morreu na véspera do meu 17.º aniversário. Gerou-me uma revolta com tudo. Lembro-me quando ia sair e olhava os pais com os miúdos. Sentia alguma inveja e perguntava-me porque é que me tinha acontecido aquilo. Ia a várias igrejas perguntar o porquê... Queria saber razões. Não consegui obter respostas, na verdade não há resposta. Vamo-nos conformando, mas o tempo não apaga. Há sempre saudade", afirmou Cristina Esteves, que confessou que, ao longo da vida, foi encontrando pessoas que recordam o pai: "Há coincidências estranhas, porque vim a encontrar determinadas pessoas que me fazem lembrar o meu pai em certas coisas. Se calhar, também, procurei isso. Por exemplo, no meu sogro, que me levou ao altar. Senti que era o meu pai ali. Pensei no meu pai, mas senti um carinho muito grande por estar ao lado de uma pessoa que admiro muito."

Mãe de três filhos, que a surpreenderam, Cristina Esteves contou que nem sempre é fácil conciliar a maternidade com a carreira: "Às vezes, senti-me triste por não os poder acompanhar. Houve vezes que não estive presente nos aniversários e tentei compensá-los… Nem sempre é possível. Um dos maiores receios que tenho, talvez por ter perdido os meus pais cedo, é não poder acompanhar os meus filhos. Não é desaparecer, é não poder estar lá quando eles precisarem."

Cristina Esteves contou, ainda, como lidou com um problema de saúde grave, em 2014, que a obrigou a ser operada de urgência. "Senti uma coisinha. Começou a inchar, inchar, inchar e, se rebentasse, ia ser grave. Podia rebentar a qualquer momento. Podia ter uma hemorragia muito grande", começou por contar a jornalista, antes de revelar: "Foi retirado, levei 30 pontos. Quando voltei, passado 1 mês, voltei ao telejornal. Só não voltei antes porque me custava a falar."

No final, a jornalista garantiu: "Tudo nos traz aprendizagens, mesmo o que é negativo. Pensamos que foi péssimo, mas que podia ser pior. Estou cá."