Cristiano Ronaldo e Jorge Mendes oferecem ventiladores a hospitais

com Lusa
Cristiano Ronaldo na Selfie
Cristiano Ronaldo ensina os filhos a protegerem-se contra o coronavírus
Cristiano Ronaldo e filhos cantam para Georgina Rodríguez
Namorada de Cristiano Ronaldo surpreende a dançar Salsa
Cristiano Ronaldo com os fillhos

O internacional português Cristiano Ronaldo e o empresário Jorge Mendes vão equipar uma ala do Hospital de Santo António, no Porto, para cuidados intensivos.

"Esta unidade vai permitir a abertura de 15 camas de cuidados intensivos, integralmente equipadas com ventiladores, monitores e restante equipamento", indicou o Centro Hospitalar Universitário do Porto (CHUP), onde se insere o Santo António.

Segundo o CHUP, como forma de agradecimento a nova ala vai ter o nome destes dois mecenas do mundo do futebol.

"O Centro Hospitalar Universitário do Porto agradece ao Cristiano Ronaldo e Jorge Mendes esta iniciativa tão útil, num momento em que o país de todos tanto necessita", afirmou o presidente do conselho de administração, Paulo Barbosa.

De acordo com o site MaisFutebol, Cristiano Ronaldo e o empresário Jorge Mendes têm um projeto para, em conjunto, financiarem três unidades de cuidados intensivos para doentes com covid-19, nos hospitais Santa Maria, em Lisboa, e Santo António, no Porto.

Estas doações de Cristiano Ronaldo e Jorge Mendes significam um investimento superior a um milhão de euros.

Recorde-se que Jorge Mendes, mas neste caso a título particular, já tinha oferecido mil câmaras expansoras e 200 mil batas de proteção ao Hospital São João, também no Porto. Para além disso, tem encomendados oito ventiladores que serão distribuídos por vários hospitais.

Em Portugal, há 23 mortes e 2.060 infeções confirmadas, segundo o balanço feito segunda-feira pela Direção-Geral da Saúde.

Dos infetados, 201 estão internados, 47 dos quais em unidades de cuidados intensivos.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de quinta-feira e até às 23:59 de 02 de abril.

Além disso, o Governo declarou dia 17 o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.