Mickael Carreira: "Quando conheci a Laura, foi amor à primeira vista"

Conta-me como és - Fátima Lopes entrevista Mickael Carreira
Mickael Carreira prefere decotes ou mini-saias? O cantor responde
5 curiosidades que ninguém sabe sobre Mickael Carreira
Mickael Carreira em entrevista no "Conta-me Como És"
Mickael Carreira na Selfie

Mickael Carreira foi o mais recente convidado de Fátima Lopes no programa "Conta-me Como És", onde recordou como foi a adaptação a Portugal e a entrada no mundo da música.

O cantor recordou a carreira que iniciou aos 15 anos, quando subiu ao palco, pela primeira vez, ao lado do pai, até ao lançamento do primeiro disco, aos 20 anos, passando pelo concerto na Meo Arena.

"Tinhas imenso medo das câmaras e de dar entrevistas", lembrou Fátima Lopes, com Mickael Carreira a assumir: "Sempre fui muito reservado e tímido e, com o passar dos anos, aprendi a combater isso".

Assumindo que era "inevitável" fazer carreira na música, o filho mais velho de Tony Carreira acredita que, mesmo que o pai não fosse cantor, o percurso profissional passaria por esta área. "É, realmente, aquilo que me faz feliz e não tenho jeito para fazer outra coisa", resumiu.

Começou por aprender a tocar piano, "mas sem grande paciência, porque é uma grande seca", e, mais tarde, tentou aprender a tocar guitarra com o pai, que só lhe deu três aulas, "porque não tinha muita paciência", e acabou a ver vídeos no Youtube que o ensinaram a dominar o instrumento.

Após ter vivido até aos 15 anos em França, Mickael Carreira veio viver par Portugal, onde sempre se sentiu em casa. Conforme contou a Fátima Lopes, a adaptação nem sempre foi fácil, porque era "o emigrante 'franciu' e o filho do Tony", e os amigos tiveram um papel muito importante.

"Os meus melhores amigos foram os que conheci antes da música", assumiu o cantor que acredita que são esses que o conhecem "verdadeiramente" e a quem se dá "sem filtros".

Surpreendido por uma mensagem do personal trainer, Mickael Carreira confessou que, para ele, "treinar é uma seca" e que, "se não fosse cantor, era gordinho", porque gosta de comer e de cozinhar, apesar de não cozinhar tão bem quanto a companheira, Laura Figueiredo.

O cantor falou, ainda, da relação forte que mantém com a família, sem esconder que, até aos 20 anos, era "como cão e gato" com o irmão David, mas que, agora, são "muito próximos".

Mickael Carreira acabou emocionado com a mensagem deixada pelos irmão mais novos, Sara e David, que o classificaram como "um exemplo de coragem", bem como dos pais, que elogiaram os feitos do filho mais velho.

Sobre a companheira, Laura Figueiredo, mãe da única filha do cantor, o cantor diz que "foi amor à primeira vista" e que "era um Mickael antes da Laura e outro Mickael depois da Laura".

Num depoimento, Laura Figueiredo afirma que o cantor é "uma pessoa com um coração puro" e elogiou o "pai e homem" que se está a tornar, agradecendo o "amor" que têm um pelo outro: Obrigada, amor. Amamos-te".

Desde que Beatriz nasceu, o Mickael Carreira aprendeu a dar mais valor ao tempo: "A minha filha nasceu há dois anos, e são momentos que não vão voltar nunca mais e tenho de aproveitar estes momentos".

Não se esqueça de ver o vídeo com a entrevista, na íntegra.