Joana Amaral Dias lembra nascimento do primeiro filho: "Tive momentos difíceis"

Igor Pires
Conta-me como és - Fátima Lopes entrevista Joana Amaral Dias
Fátima Lopes entrevista Joana Amaral Dias no programa "Conta-me como És"

A ex-deputada foi a entrevistada desta semana do programa "Conta-me como És"

Joana Amaral Dias foi a mais recente convidada de Fátima Lopes no programa "Conta-me Como És". A ex-deputada conversou sobre a família e os objetivos profissionais e de vida. 

Joana Amaral Dias começou por recordar que tanto a mãe como o pai estiveram presos. "Os meus pais fizeram parte da crise estudantil de 1969. A minha mãe esteve presa quando estava grávida do meu irmão mais velho, foi uma situação bastante complicada. Entretanto o meu pai foi contrariado para Angola, mas sempre lutou conta o Estado Novo e o Salazarismo. A política faz parte da nossa história familiar." 

A ex-deputada seguiu Psicologia, mas confessa que a sua vocação podia ser outra qualquer. "É engraçado porque na altura dos testes psicotécnicos havia um cenário demasiado amplo. Mas se formos a ver, a política também é muito generalista. Por isso é que a política deveria ser a arte mais nobre de todas."

Na entrevista, Joana Amaral Dias relembrou ainda sobre os momentos complicados que viveu a propósito do nascimento do primeiro filho, Vicente. Além de ter sido mãe muito nova, aos 21 anos, a psicóloga também casou bastante jovem.

"Eu casei muito nova, tive um filho aos 21 anos. Havia pessoas que diziam: 'Isso é um disparate. Vais estragar a tua vida'. Mas eu queria ter um bebé naquela altura, mas foi duro na mesma. Tive momentos difíceis. Mas atenção que não me estou a queixar, eu não sou uma mulher em África que tem que carregar um pote de 20 litros de água à cabeça e fazer 50 quilómetros. Tudo é muito relativo." afirmou Joana Amaral Dias.

(Re)veja a entrevista completa, no vídeo acima.