Jessica Athayde: "Tive uma paixoneta pelo Diogo Amaral quando tinha 19 anos"

Conta-me como és - Fátima Lopes entrevista Jessica Athayde
Jessica Athayde na Selfie

Foi em entrevista a Fátima Lopes, no programa "Conta-Me Como És", que Jessica Athayde abriu o coração, ao falar sobre a gravidez e a relação com Diogo Amaral.

"Era um sonho que tinha há anos, e que nunca achei que fosse conseguir, porque, durante anos, - e sou seguida pela mesma médica há anos - sempre tive imensas complicações, problemas nos ovários. E [a médica] sempre me disse 'Jessica, quando quiser engravidar, temos que trabalhar um bocadinho antes... ter paciência'. Quando disse ao Diogo que, agora, era a altura certa para começarmos a tentar, foi logo", começou por dizer.

Quando soube que estava grávida, a atriz não reagiu bem e confessou que chegou mesmo a tomar um ansiolítico: "Estive 48 horas a ter um ataque de pânico". 

"Uma das coisas que mais me fez apaixonar [pelo Diogo] foi vê-lo como pai. [...] É um pai excelente. [...] É muito apaixonante ver um homem [a entregar-se ao papel de pai]. Sabia que queria que ele fosse o pai dos meus filhos, quando comecei a conviver com eles [Diogo e Mateus]. No início da relação com o Diogo, disse-lhe: 'Eu sei que já tens um filho, mas eu quero uma família', e ele disse-me 'eu sei. Também quero ter uma família contigo'", contou, recordando como nasceu o amor pelo ator.

"Tive uma paixoneta pelo Diogo, quando tinha 18, 19 anos. Ele tratou-me pessimamente. Ao longo dos anos, fizemos uma novela juntos, e nunca tivemos grande relação. Aliás, sempre achei que ele era bastante arrogante. Achava que ele era muito giro, mas muito arrogante. Ao longo dos últimos anos, começámos a fazer alguns trabalhos juntos. Fez com que falássemos mais um bocadinho e começámos a conviver devagarinho... eu ainda estava numa relação, e nem sequer pensava nisso. [...] [Quando a relação terminou] pensei que queria tar sozinha, e recebi um telefonema, passado alguns dias, do Diogo, a perguntar se podia falar comigo. Longe de achar o que fosse... Chamou-me, sentou-me numa mesa, e disse: ‘Olha, faz o que quiseres com esta informação. Acho que me apaixonei por ti. Gosto de ti’", revelou.

(Re)veja a entrevista completa, no vídeo acima.