urlvisit

Camané recorda episódio curioso com Amália Rodrigues: "Uma grande referência"

Igor Pires
Conta-me como és
Camané e Mário Laginha apresentam «Com que voz»
Camané no "Conta-me Como És"

O fadista Camané teve uma conversa emotiva com Fátima Lopes, no programa "Conta-me Como És".

Camané foi o convidado deste sábado, dia 14, de Fátima Lopes, no programa "Conta-me Como És". Numa conversa franca, o fadista, de 51 anos, abordou o trajeto pessoal e profissional, sem esquecer, por exemplo, as suas grandes referências no universo do fado.

Após uma intervenção do músico António Chainho, que foi o primeiro produtor de álbuns do Camané, o intérprete de "Sei de um Rio" recordou quando, na sua juventude, ia a Cascais, a uma casa de fados do guitarrista, "O Picadeiro". Aliás, escutar, ao vivo, os fadistas que tanto admirava tornou-se numa experiência inesquecível para Camané.

Nas casas de fado, entre os vários artistas que Camané ia assistir, há um nome que se destaca: Amália Rodrigues. O fadista até relembrou alguns momentos que viveu junto desta histórica voz do fado. 

"Lembro-me de ter cantado com a Amália junto de mim e de ter um medo enorme. [...] Ela foi importantíssima, porque indicou-me ao David Ferreira [antigo responsável da EMI], dizendo que eu era um rapaz que estava num bom caminho, mas que não tinha editora para gravar. E se eu consegui ter um álbum editado pela EMI, devo-o à Amália. Fiquei muito grato. Nunca me esqueci", contou Camané.

No decorrer da entrevista, foi ainda recordado outro episódio vivido com Amália Rodrigues: "Era uma noite de homenagem à Amália e eu fui lá cantar. Quando subi ao palco, vi um cadeirão. Era ali que a Amália ia ficar sentada a ouvir-me, enquanto ia cantar. Foi uma surpresa, senti uma pressão enorme. Cantei o 'Fado Tango' e há uma 'volta' que eu dou, para conseguir dizer bem a palavra, e a Amália disse-me logo: 'Essa voltinha é minha'. Enfim, foi sempre uma grande referência e há muitas coisas que aprendi com ela".

(Re)veja a entrevista de Camané, na íntegra, no vídeo.