No Instagram

De luto, Cláudio Ramos deixa mensagem emotiva: "Fica o silêncio. E o silêncio pode ser dilacerante!"

Ainda de luto, pela morte do cunhado, aos 47 anos, o apresentador Cláudio Ramos deixou uma reflexão emotiva, no Instagram.

Cláudio Ramos está a viver um momento delicado, na vida pessoal: o apresentador está de luto, pela morte do marido de Iara Valdineia, uma das irmãs de Cláudio Ramos. 

Nuno Gama, de 47 anos, faleceu, na passada terça-feira, dia 19, e na pequena Vila Boim, no Alentejo, onde vive a família do apresentador, todos ficaram em choque com a notícia.

Sem nunca ter partilhado uma declaração direta sobre o assunto, Cláudio Ramos deixou, entretanto, no Instagram, uma reflexão emotiva sobre a importância de se fazer uma pausa, na rotina desenfreada, para escutar os mais próximos, antes que seja tarde demais.

"Gosto de me escutar, perceber o que vai dentro do reboliço que é a minha mente. Escutando, tento desalinhar o enleado em que me envolvo. Gosto deste exercício, que é de escutar a minha voz interior! Mas não me chega. Tenho a obrigação de escutar mais longe...", começou por escrever o comunicador, na legenda de uma fotografia, na qual surge com uma expressão séria.

"Sei que andamos todos numa correria desenfreada, sem tempo de parar para escutar o outro. Quantos de nós gritamos em voz baixa para sermos escutados? Mas gritamos com medo de incomodar a vida do outro. O 'outro' está na sua vida e, raramente, escuta. Limita-se, de vez em quando, a ouvir e a seguir. Não tem tempo de escutar, porque, muitas vezes, 'escutar' obriga a mudar o rumo, a parar, a dar atenção e, assim, apenas 'ouvindo', fica de consciência tranquila, porque lhe dá a falsa sensação de ter feito alguma coisa. Errado! Há que escutar, mesmo que andemos todos numa correria desenfreada onde achamos que não nos é permitido parar", acrescentou.

No final da mensagem, Cláudio Ramos sublinhou a efemeridade da vida: "Andamos enganados! É urgente fazê-lo, porque corremos todos o risco de um dia, de repente, a vida, sem aviso, parar tudo. E, aí, pode não haver nada a fazer, nem tempo para escutar. Fica o silêncio. E o silêncio pode ser dilacerante!"

Veja a imagem partilhada por Cláudio Ramos, na galeria de fotografias.

Relacionados