A homenagem comovente da irmã do ator brasileiro assassinado

Foi através das redes sociais que Camilla Miguel, irmã mais velha do ator Rafael Miguel, utilizou as redes sociais para prestar homenagem ao irmão e aos pais, que foram assassinados no passado fim de semana.

Num extenso e emotivo texto, a jovem agradeceu todo o apoio que tem recebido.

"Agradeço, imensamente, cada uma das incontáveis mensagens de amor e colhimento. Peço desculpas por não ter respondido a um dos amigos e reportagens que tentaram contato, mas estou em um momento de luto e assimilação de tudo o que aconteceu, não consigo pronunciar-me sobre justiça, nem sobre como vamos seguir a vida. Obrigada, também, às, talvez, milhares de pessoas que compareceram ao funeral e enterro. E peço, encarecidamente, que não compartilhem, comentem, e apenas denunciem perfis desrespeitosos que tenham tirado e postado fotos do funeral ou corpos. Isso é desumano em níveis idênticos ao que uma pessoa fez com os meus pais e o meu irmão. Com o tempo, e aos poucos, decidirei se me vou pronunciar, decidirei como eu e a minha irmã, de 13 anos, vamos seguir. O sofrimento e a angústia de não tê-los mais, de não vê-los, não ver meus pais babando de amores pela neta, ou o meu irmão sentado bem em frente de onde estou, agora, na cozinha, nada nunca vai ser completo sem eles, o trauma foi gigantesco. Mas seguirei eu, meu marido, que é o maior companheiro que existe, a minha filha, e toda a família e amigos que sabemos que temos ao nosso lado. Obrigada, mãe, obrigada, pai, obrigada, Rafa. Vamos, por favor, deixá-los descansar na paz merecida, após tamanha brutalidade. Arma não é e nunca será objeto de defesa. Arma é um objeto que mata."

Rafael Miguel, de apenas 22 anos, e os pais, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50 anos, tinham-se deslocado à casa da namorada do ator no passado fim de semana e acabaram por ser assassinados. O pai da jovem, Paulo Cupertino Matias, de 48 anos, é o principal suspeito dos crimes.

Segundo um jornalista da TV Record, o pai da jovem, de 18 anos, terá agido por ciúmes da filha, que "era obrigada a ficar trancada em casa e a não se relacionar com outras pessoas".