Patrícia Matos: "2018 foi pesado. Houve dias em que eu só queria dormir e esquecer"

Patrícia Matos na Selfie
Patrícia Matos: "Adoro fazer kickboxing no ginásio"
O look de Patrícia Matos para a festa TVI!

Foi através do blogue "Deve Ser de Mim" que Patrícia Matos decidiu fazer um balanço do último ano.

Olhando para trás, a pivô da TVI começou por agradecer a amizade daqueles que a rodeiam: "O amor é bom, mas a a amizade é a melhor coisa do mundo. Aprendi isto há muitos anos, mas 2018 deu-me essa lição. [...] Os meus amigos foram a minha rede. [...] Em 12 meses, só não delirei de tristeza por eles. Estiveram lá, nunca me deixaram sozinha nos dias de clausura, nos dias mais tristes. [...] Houve dias em que eu só queria dormir e esquecer. Eles nunca me deixaram perder-me do meu propósito aqui. Deixaram-me chorar, mas não permitiram que me demorasse na tristeza."

Depois de ter estado afastada do "Diário da Manhã", devido a uma bactéria, a jornalista mudou por completo a rotina, mas não esquece os momentos difíceis que viveu e ainda vive: "2018 foi pesado. Estive doente 12 meses. Sim, ainda estou. Em franca recuperação, mas ainda estou. [...] Não vou mentir: cansa, pesa, tortura. Parece que há sempre um problema que surge depois do outro, como que a por em prova a resistência, a resiliência e o sorriso."

Parar fez com que Patrícia Matos voltasse a definir prioridades: "2018 obrigou-me a parar e perceber que o mais importante da vida sou eu, que preciso estar bem ou corro o risco de… me perder. Obrigou-me a aceitar. Obrigou-me a perceber que não controlo nada e isso é… assustador. Mas lá no meio do medo também me mostrou que há uma luz e eu encontrei um lugar seguro: chama-se fé. Tenho o coração a transbordar dela, tenho a alma cheia de alegria e os ombros reforçados para carregar o que aí vier. Tenho coragem."

No final, e apesar dos contratempos pelo caminho, o balanço é positivo: "O mais importante é ser-se estupidamente feliz. Eu sou feliz. Na minha pequenez, no nada que tenho, nas minhas limitações, no refúgio da minha casa, no momento em que sinto um coração bater como se estivesse fora do peito… esses momentos eu ganhei em 2018. Foi preciso esperar quase até ao fim do ano mas valeu muito a pena. Valeu tanto, tanto a pena…!"

Para 2019, a pivô tem apenas um desejo: "O que tiver de acontecer de mal aos meus, que venha para mim. Eu já estou reforçada, já tenho força. Eu aguento! Quero sorrir, leve, solta, sem medos, sem pesos, sem chatices. Quero viver."

Acompanhe o blogue Deve Ser De Mim AQUI