urlvisit

Pedro Barroso faz confissões inéditas: "Estava a danificar tudo com o consumo de cocaína"

Igor Pires
Pedro Barroso a caminho de Santiago
Pedro Barroso confessa que se emocionou com final de "A Herdeira": "Chorei imenso"
Pedro Barroso: "Estou a trabalhar com uma das minhas atrizes favoritas"
Pedro Barroso em desfile solidário da comunidade cigana
Pedro Barroso na Selfie!

O ator Pedro Barroso abriu o coração, numa conversa emotiva.

Numa entrevista intimista, Pedro Barroso começou por recordar a infância, marcada por alguma carência de afetos: "Sou desconfiado. Não muito crente nas pessoas. Hoje em dia, sou mais. Cresci numa estrutura maravilhosa, cresci com os meus avós. A minha mãe foi muito presente, o meu pai, por circunstâncias da vida, não tão presente".

A falta do pai e a distância da mãe, que trabalhava fora do país, fizeram com que o ator, de 33 anos, se sentisse, frequentemente, "menos acompanhado": "Se calhar 'abandonado' é a expressão certa. Criou-me a necessidade de ser 'gostado', a necessidade de aceitação".

Na opinião de Pedro Barroso, essa carência vivida na infância contribuiu para que, na idade adulta, vivesse um "confronto" consigo mesmo. O ator admitiu que, durante muitos anos, não soube lidar com as emoções, tendo atravessado difíceis períodos de negação. 

"Aprendi, há dois anos, a partilhar sentimentos. É bonito e é duro. Hoje em dia, estou mais focado no que posso reconstruir dentro de mim. Aprendi a dizer não. São atos de coragem. No meu processo, deixei para trás pessoas, uma novela, perdes dinheiro, deixas para trás uma situação monetária mais confortável, amizades, o país durante um tempo", recordou.

Recuando até 2018, no decorrer das gravações da novela "A Herdeira", Pedro Barroso viveu um momento de profunda dor e o ritmo acelerado de gravações era o refúgio à realidade. 

"Quando estava a gravar a novela decidi entrar em tratamento. Foi um processo para olhar para o que estava a danificar. Depois de construir tanta coisa com carinho, estava a danificar tudo com o consumo de cocaína. Decidi entrar em tratamento com ajuda", explicou.

"Os consumos ajudavam-me a não lidar com as emoções. Se pudesse trabalhar durante 24 horas, para mim ótimo, porque não tinha de lidar comigo", acrescentou.

O mês em que esteve focado na sua recuperação é lembrado como um dos períodos mais bonitos que já viveu, devido, também, aos laços que criou com as pessoas que conheceu: "Tive um mês de retiro, deram-me esse tempo na novela, acho que me salvaram a vida. No final, perguntaram-me se queria continuar a gravar e eu disse que sim. Foi um tempo muito feliz para mim. Estás com estranhos que passam a ser os teus companheiros de guerra".

"Houve uma altura em que eu estive muito próximo de desistir e dessa altura não me quero esquecer", lembrou, ainda. 

"O que é que evitou que tu não desistisses?”, perguntou Daniel Oliveira. "Quero acreditar que foi alguma coisa maior, a minha avó. Porque são momentos em que estás tão cansado de falhar que aquela parece a melhor opção. Saíres daí é complicado. Mas depois há pessoas que acreditam em ti e que veem em ti o que tu não vês", terminou. 

Na entrevista ao programa "Alta Definição", Pedro Barroso conta que, agora, sente-se estabilizado: "É como aprender a andar, vais tentar, vais cair, voltar a tentar, voltar a cair. Preciso de rotinas e disciplina e que desafiem em algo maior. Aprendi a respirar".