Selfie ao NÓNIO: um assunto sério

OPINIÃO
Mário Matos
Direção Comercial e Marketing da Media Capital
Mário Matos

Prepare-se, daqui a uns tempos, vai ter que se registar para poder ler e ver a Selfie, e, já agora, todos os conteúdos digitais dos maiores grupos de comunicação de Portugal.

O que lhe pedimos é o mesmo que qualquer rede social lhe pediu quando se inscreveu: mail e nome. Identifique-se. Identifique-se para nós lhe podermos entregar conteúdos do seu interesse e para nós termos uma forma de financiar essa produção de conteúdos.

Com publicidade? Sim. Sem esta forma de as marcas se aproximarem de si e de lhe mostrarem o que lhes parece interessante face ao que gosta, não temos capacidade para pagar aos nossos jornalistas, editores, produtores, webdesigners, programadores, comerciais, seguranças e administradores para fazerem o trabalho de que tanto gosta, para garantirem que tem conteúdos feitos em português e por profissionais que garantem que lê verdades e que os direitos de autor são protegidos e para que se mantenha a liberdade e independência económica dos grupos de comunicação.

Quando se registar na Selfie, fica logo registado nos sites da TVI, SIC, Correio da Manhã, Diário de Notícias, Rádio Comercial ou RFM - e em todos os cerca de 70 sites destas empresas de media. Estamos todos juntos nisto que é o NÓNIO, porque acreditamos em dar-lhe conteúdos e publicidade melhores e coincidentes com os seus interesses.

O NÓNIO é uma ideia de um conjunto de pessoas da indústria de media em Portugal: da Renata Silva, do Grupo Renascença Multimedia, do José Frade, da Cofina, do Marcelo Leite, da Globalmedia, do João Paulo Luz, da Impresa, do Mário Maia, do Público, e do Mário Matos, da Media Capital.