Maria Vieira denuncia casos de assédio e abuso sexual em Portugal: "Conheço atores que foram alvo"

Maria Vieira na Selfie

Maria Vieira decidiu comentar um dos assuntos que tem estado na ordem do dia em Hollywood, sublinhando que em Portugal também existem inúmeras casos de assédio e abuso sexual.

Perante toda a polémica e os inúmeros casos que têm vindo a público, Maria Vieira fez questão de recorrer às redes sociais para comentar o assunto.

“Um pouco por todo o mundo e também em Portugal tem muita gente em liberdade por ter cometido o mesmo tipo de crimes (muitos deles até foram ilibados de acusações semelhantes...) mas que continuam livres como 'passarinhos', praticando impunemente as mesmas ações, até porque este governo socialista agora no poder jamais se decidirá a apurar e a investigar seriamente estes crimes hediondos porque porventura não lhes convém semelhante investigação que iria apurar coisas muito complicadas e de difícil resolução, coisas que toda a gente do meio artístico nacional e não só, sabe que existem e que são reais mas que carecem de coragem por parte das vítimas e de toda a gente que sabe o que essa gente fez e continua a fazer e ainda assim não se sentem seguras para denunciar...”, começou por escrever.

Os comentários à publicação multiplicaram-se rapidamente, e, numa troca de ideias, a atriz frisou que este tipo de crimes está bem presente no nosso país: "Portugal é um caso muito sério nessa matéria; mas o medo de perder o emprego, de perder os supostos amigos, de perder tudo e mais alguma coisa, tolhe a vontade de dizer a verdade que toda a gente sabe mas que não pode dizer... Impunha-se um governo interessado em apurar a verdade, impunha-se a protecção de identidade daqueles que podem denunciar os criminosos e impunha-se uma justiça séria para investigar, condenar e prender todos os pedófilos e predadores sexuais que abundam no nosso país e que estão em grande parte sediados numa plataforma profissional idêntica àquela que está agora sendo investigada e condenada em Hollywood..."

Maria Vieira decidiu ir mais longe e referiu que teve conhecimento de vários casos em Portugal: "Muitas das vítimas destes predadores e destes pedófilos são rapazes e menores sonhadores (é verdade que muitos deles se vendem e venderam para atingir os seus fins) e meninos pobres aliciados com dinheiro e com objetos de luxo e com promessas de carreiras bem sucedidas que nunca aconteceram e jamais iriam acontecer. Outros são pessoas (conheço muitos atores e aspirantes a atores que foram alvo de assédio sexual e que hoje até são atores e atrizes bem sucedidos/as) que dificilmente irão denunciar os seus predadores e eu assisti pessoalmente e ouvi muitas queixas de jovens rapazes e de jovens mulheres que foram vítimas desses nojentos da pior espécie. Os predadores sexuais e sobretudo os pedófilos são criminosos ultrajantes que deveriam ser punidos de acordo com a gravidade dos seus revoltantes crimes. [...] O público sabe, condena e nem sequer gosta dessa gente que sabe perfeitamente quem é e o que é, e por isso mesmo não assistem aos programas que essa gente de alguma forma lidera ou faz parte, mas entretanto tem outra gente, aquela gente que tem o poder de decidir e de continuar a contratar e a atribuir funções a essa gente, que é amiga dessa gente e que continua protegendo essa gente mesmo sabendo que essa gente não tem gente para assistir àquilo que essa gente faz e que em muitos casos são os contribuintes que pagam para não ver. [...] Em Portugal, nesta altura, vai ser muito difícil investigar essa gente até porque vários deles continuam no activo, são figuras bem conhecidas e até trabalham em lugares onde as investigações sofreriam forte oposição por parte das administrações onde essa gente continua trabalhando. [...] Sei de algumas que dariam livros muito interessantes apesar de as pessoas nelas envolvidas já terem sido investigadas por esses crimes e de quase toda a gente saber quem são essas pessoas.”

Nem o caso de Renato Seabra foi esquecido pela atriz nesta troca de comentários: “É claro que ele sabia ao que ia e veja lá no que aquilo deu? Mas o que se deve reter nestes casos é que o predador sexual toma sempre a iniciativa de seduzir as suas vítimas com promessas, sejam as mesmas dinheiro vivo para quem não o tem, carreiras bem sucedidas no mundo do espectáculo ou da moda e a abertura de 'portas' que eventualmente seriam escancaradas para obter um meio interessante de subsistência. Em última instância é sempre o predador que dá origem e provoca a situação porque é ele que detém o poder. O Renato Seabra jamais se relacionaria com a sua vítima se por ela não tivesse sido seduzido com as promessas falsas e enganadoras que o levaram momentaneamente a perder o juízo e a ser tomado pela raiva e pelo desespero, fazendo por isso aquilo que fez.”