Carolina Deslandes recorda momento difícil: "Baixei os braços e cansei-me de lutar"

Carolina Deslandes na Selfie
Carolina Deslandes com os filhos, Santiago e Benjamim
As incríveis semelhanças entre Carolina Deslandes e o filho mais velho
Carolina Deslandes e Diogo Clemente na Selfie

Carolina Deslandes recorreu à página de Facebook para partilhar um texto, sob a forma de desabafo, no qual recorda a forma como conseguiu ultrapassar uma fase complicada, contando com a ajuda de Agir e do marido, Diogo Clemente.

"Há 4 anos desisti de fazer canções. Baixei os braços e cansei-me de lutar, de criar, de fazer investimentos que nunca davam em nada. Tinha 30 euros na conta, zero concertos marcados e o coração aos bocadinhos. Tinha muitas alegrias e também muitas desilusões e nesse momento as desilusões falaram mais alto e tomaram conta de tudo. Fui servir às mesas para um restaurante, com a mesma alegria com que faço tudo aquilo em que me envolvo, e ouvia muitos clientes dizerem que gostavam muito da minha música. Fez-me sorrir e fez-me chorar, porque a musica que sempre fez parte do meu dia-a-dia parecia agora uma hipótese distante e inatingível", começou por explicar.

Até que, a dada altura, a cantora viu surgir uma nova oportunidade: "O meu telefone tocou. Era o Agir, o meu Bernardo, a insistir que eu fosse para estúdio com ele e que voltasse a cantar. Por medo e insegurança, fugi muitas vezes a esse convite e arranjei todas as desculpas e mais algumas para não o fazer, mas ele foi mais persistente. Arrancou-me para o estúdio e fizemos o 'Mountains'. [...] Só mais tarde percebi que o Mountains falava de mim, e deste meu irmão que acreditou em mim, quando eu já não o conseguia fazer".

"Mais tarde, no dia mais doloroso da minha vida, voltou a pegar na minha mão e juntos fizemos o 'Heaven'", acrescentou.

Carolina Deslandes sublinhou que estas foram as canções que voltaram a fazer com que a atriz "ressuscitasse": "As canções e uma voz amiga que disse “Anda, eu acredito em ti”. [...] Anos mais tarde, conheci o Diogo. Apaixonei-me no final do Verão depois de irmos jantar, e construímos uma família. A família dos meus sonhos, a vida dos meus sonhos.

"Depois de descobrir que estava gravida do Benjamim, deixei de ter concertos mais uma vez e voltei a parar. Ninguém queria trabalhar com uma recém mãe grávida. Ouvi muitas vezes dizer “A Carolina já não é artista, é mãe” como se uma coisa anulasse a outra [...] Mais uma vez, fui levada. Desta vez foi o Diogo que me disse: 'Quero gravar a canção que me deste'. Eu não queria. Achava a canção demasiado pessoal, achava que já não sabia cantar e recusei. Graças a Deus, as pessoas que me amam são mais teimosas que eu e ele lá me conseguiu convencer. Gravamos a canção. Gravamos um disco, e juntos fizemos a obra mais bonita que fiz até hoje. O Diogo fez-me ver uma mulher que eu não sabia que existia", partilhou.

"[...] Fiz este post para vos dizer que nem tudo é um mar de rosas. Às vezes o caminho até aos nossos sonhos tem buracos, fogos, dias de chuva e muitas desilusões. Mas eu tive uma sorte que me valeu por tudo: estive e estou rodeada das pessoas certas. Pessoas que desejam a felicidade do outro como se fosse sua. Pessoas que me levaram pela mão. [...] Obrigada ao meu melhor amigo e ao meu marido. Que continuemos a mover montanhas pela vida toda", rematou.