EXCLUSIVO

Ana Leal premiada pela UNESCO: "O nosso trabalho faz a diferença"

Redação Selfie

Ana Leal foi, pela segunda vez, vencedora do prémio “Direitos Humanos e Integração”, da UNESCO, pela reportagem “Love You Mom”, na qual deu a conhecer as adoções forçadas no Reino Unido.

"Este prémio é importante, para já porque é uma honra, para mim, receber um prémio com este prestígio, e, ainda por cima, pelo segundo ano consecutivo. O que é que pode desejar mais um jornalista quando vê consequências daquilo que faz e quando consegue mudar as coisas que estão mal? Nós demos, pela primeira vez, voz a mulheres, mães, neste caso emigrantes no Reino Unido, que nunca tinham sido ouvidas e que, durante anos, foram silenciadas com medo de perder os seus filhos. Com esta reportagem conseguimos, também pela primeira vez, por deputados ingleses a falarem sobre o assunto e a porem a hipótese de, inclusivamente, mudar a lei, porque perceberam que alguma coisa estava mal e começaram a questionar se, de facto, há um negócio à volta das adoções forçadas no Reino Unido. Em Portugal, o governo, também pela primeira vez, começou a olhar para estas mães de uma forma diferente. Elas estavam completamente abandonadas até aqui e passaram a ter voz, também, junto do governo português, e pelo menos não estão tão desamparadas. Nós não conseguimos nunca mudar o mundo, que era o que gostaríamos, obviamente, mas pensarmos que o nosso trabalho faz a diferença, e isso é o que qualquer jornalista deseja... ver consequências do seu trabalho", afirmou a jornalista, em declarações à Selfie.

Juntamente com Ana Leal, também foram homenageados Nuno Quá e Miguel Freitas, responsáveis pela captação de imagem e edição da reportagem.

Recorde-se que o mesmo prémio foi entregue à jornalista em 2015 pela reportagem “Até Voares”.